Negócios
Acompanhe:

Transformação digital das aéreas também ajuda a reduzir custos

O peso da cabine foi reduzido, representando uma economia significativa para as companhias

Aeronaves: menos peso nas cabines e consequente redução de custos (Chris Helgren/Reuters)

Aeronaves: menos peso nas cabines e consequente redução de custos (Chris Helgren/Reuters)

R
Ragini Saxena, da Bloomberg

27 de novembro de 2020, 14h48

A pandemia de novo coronavírus acelerou a transformação digital de companhias aéreas, que buscam maneiras de reduzir o contato humano. Mas essa iniciativa também teve outro impacto. O peso da cabine foi reduzido, e isso pode significar uma grande economia de custos.

A aérea de baixo custo Scoot, controlada pela Singapore Airlines, anunciou na quinta-feira, 26, um sistema a bordo chamado ScootHub, que os clientes podem acessar por meio de seus aparelhos móveis para pedir alimentos, bebidas, produtos duty free e outros serviços.

A empresa estima que a mudança não só reduzirá o consumo de papel em mais de 156 toneladas, mas também cortará as emissões anuais de dióxido de carbono em mais de 41 toneladas e economizará mais de 13 toneladas de combustível.

A covid-19 também levou a British Airways a remover cópias impressas de sua revista de bordo, em circulação há mais de meio século. Agora, a revista está disponível para download gratuito nos aparelhos pessoais dos passageiros, o que ajuda a British Airways a reduzir um peso significativo, de acordo com a Inmarsat Aviation.

“A pandemia proporcionou às companhias aéreas um ímpeto para alavancar soluções digitais de forma mais ampla como um meio de diminuir os pontos de contato comuns de passageiros, com a redução de peso sendo um benefício adicional”, disse David Coiley, vice-presidente da Inmarsat Aviation na Ásia-Pacífico.

E qualquer coisa que reduza os custos da aviação agora é positiva. Administrar despesas é fundamental para companhias aéreas, que enfrentam o impacto econômico da pandemia. Operadoras globais dispensaram centenas de milhares de funcionários e as perdas do setor agora são estimadas em cerca de 118,5 bilhões de dólares em 2020, de acordo com a Associação Internacional de Transporte Aéreo.

O combustível é uma das maiores e mais variáveis despesas das companhias aéreas, sendo responsável por quase 25% dos custos operacionais, e o peso da cabine pode ter um grande impacto na redução desses encargos.

Em 2018, a United Airlines economizou 290 mil dólares em custos de combustível anuais apenas usando um papel mais leve para sua revista de bordo. Em outro exemplo bem documentado, a American Airlines removeu apenas uma azeitona de cada prato de salada para economizar 40 mil dólares.

“A covid-19 ampliou a necessidade de buscar mais possibilidades de redução de custos e acelerou o uso de tecnologia sem contato”, disse Vasudevan S, sócio de aviação da KPMG, na Índia.

Outras maneiras pelas quais companhias aéreas podem diminuir o peso incluem a redução de sacos para enjoo, carrinhos de comida mais leves e transportar apenas alimentos e bebidas pré-encomendados, disse.