Negócios

Quem é o brasileiro que assumiu como CEO da maior empresa de tabaco do mundo

A British American Tobacco, criada em 1921, tem um valor de mercado de US$ 76,34 bilhões de dólares

Tadeu Marocco entrou na companhia em 1992 e desde meados de maio lidera o negócio que faturou mais de 27,6 bilhões de libras esterlinas (BAT/Divulgação)

Tadeu Marocco entrou na companhia em 1992 e desde meados de maio lidera o negócio que faturou mais de 27,6 bilhões de libras esterlinas (BAT/Divulgação)

Marcos Bonfim
Marcos Bonfim

Repórter de Negócios

Publicado em 26 de maio de 2023 às 17h18.

Última atualização em 26 de maio de 2023 às 18h12.

A centenária British American Tobacco (BAT), dona de marcas como Lucky Strike, Kent e Dunhill, tem agora um brasileiro na mais alta posição. O conselho de administração escolheu Tadeu Marocco para liderar a companhia ao longo dos próximos anos. Ele substitui Jack Bowles, executivo no comando do negócio desde 2019.

Marocco está na companhia desde 1992, quando entrou na Souza Cruz, no Rio de Janeiro, empresa cujo controle majoritário pertence ao grupo inglês. Formado em engenharia, ele transitou por áreas diversas em 10 anos na unidade local, do marketing a operações e folha de pagamento.

No começo dos anos 2000, iniciou a trajetória internacional como diretor financeiro em unidades da BAT na Venezuela e na Colômbia, experiências que o levaram ao centro de controle da companhia, em Londres. Desde 2006, atuou em posições de diretoria e liderança em divisões do negócio no velho continente e também na África.

Em 2019, foi convidado para assumir como diretor financeiro do grupo, posição ampliada em 2021 com a introdução da área de transformação digital. Desde o dia 15 de maio, Torocco preside o grupo.

Qual é o futuro do negócio

Em meio a todo de tipo de controvérsia relacionado ao mercado de tabacaria no mundo e seus respectivos efeitos, o executivo assume com a missão de manter o negócio sustentável e levar adiante a estratégia lançada em 2019, "building a better tomorrow" (construindo um melhor amanhã).

A proposta da companhia passa por:

  • Oferecer produtos com menor impacto na saúde das pessoas
  • Ampliar os investimentos em inovação para o desenvolvimento de produtos que vão além da nicotina

"Tendo estado no centro da formulação desta estratégia, estou convicto de que este é o caminho estratégico certo para a BAT. Neste ambiente dinâmico, continuo firmemente comprometido em focar na entrega de resultados por meio da excelência na execução", afirmou o brasileiro, em nota da companhia.

Qual é o ritmo de crescimento da empresa

Criada em 1921, a British American Tobacco tem um valor de mercado de US$ 76,34 bilhões de dólares e é a 18oª companhia mais valiosa do mundo, de acordo com a plataforma Companies Market Cap.

Em 2022, a empresa registrou um faturamento de 27,66 bilhões de libras sterlinas, crescimento de 7% em relação ao ano anterior. As novas categorias, representadas por produtos que apresenta como "de risco reduzido", como vapes e cigarros eletrônicos, registraram alta superior a 40% e fecharam o período com receita de £ 2,9 bilhões. De acordo com o plano da companhia, essa divisão deve a chegar a £ 5 bilhões em 2025. 

No passado passado, a BAT também sentiu a adesão de um número elevado de consumidores aos produtos dessas novas categoria, 4,2 milhões pessoas. A base atual total é de 22,5 milhões, número que a companhia espera bater 50 milhões até 2030.

Acompanhe tudo sobre:CigarrosCigarros eletrônicos

Mais de Negócios

De água potável e resgates a consultas médicas e abrigos: o papel das startups gaúchas na crise

Este grupo aposta em startups para manter a Amazônia em pé e reduzir o risco de desastres climáticos

MELHORES E MAIORES 2024: inscrições terminam nesta sexta, 10

Empresa de Israel compra startup paulista de R$ 150 milhões para fazer pessoas passearem de ônibus

Mais na Exame