Negócios

O bilionário do molho de soja: o chinês que comanda um negócio de US$ 3,8 bi criado no século 17

Pang Kang preside a Foshan Haitian Flavoring & Food e é dono de uma fortuna estimada em US$ 8,3 bilhões

Kang investiu o equivalente a US$ 60 mil e se tornou o maior acionista da companhia em 1995 (Foshan Haitian Flavoring & Food/Divulgação)

Kang investiu o equivalente a US$ 60 mil e se tornou o maior acionista da companhia em 1995 (Foshan Haitian Flavoring & Food/Divulgação)

Marcos Bonfim
Marcos Bonfim

Repórter de Negócios

Publicado em 4 de abril de 2024 às 14h59.

Última atualização em 4 de abril de 2024 às 19h23.

As listas de bilionários são lideradas pelos titãs das gigantes da tecnologia. Em geral, profissionais de americanas como Google, Meta, Oracle, Microsoft e ainda o conglomerado de marcas de luxo francês LVMH

Bem longe do topo, a diversidade dos negócios fica maior — e mais inusitada. O bilionário que ocupa a posição 308 do ranking da Forbes aparece como oriundo do mercado de “molho de soja”.

A colocação pertence ao chinês Pang Kang, empresário que comanda a Foshan Haitian Flavoring & Food, uma das maiores fornecedoras de molho de soja no país asiático. Ele é dono de uma fortuna estimada em US$ 8,3 bilhões, segundo o ranking da Forbes.  

Como surgiu o negócio

A origem da companhia remonta ao século 17, durante o governo do imperador Qianlong, da dinastia Qing, a última na história do país e com duração entre  o período de 1644 e 1912. 

De uma pequena loja de molhos de Foshan, cidade na província de Cantão, a empresa cresceu ao longo dos séculos até se tornar um negócio público-privado em 1955. O modelo ajudou a dar nova musculatura à companhia, que reportou um faturamento de US$ 3,8 bilhões em 2022.  

Além do molho de soja, a empresa lidera os mercados de condimentos com produtos feitos com ostras e camarões. O portfólio reúne mais de 300 produtos atualmente. 

Quer dicas para decolar o seu negócio? Receba informações exclusivas de empreendedorismo diretamente no seu WhatsApp. Participe já do canal EXAME Empreenda

Como Pang Kang se tornou o bilionário do molho de soja

O empreendedor chinês detém pouco mais de 60% das ações da companhia, na soma como acionista individual e controlador da holding Guangdong Haitian Group. Formado em direito, ele entrou para o negócio em 1980 e dois anos depois ascendeu ao posto de vice-presidente. 

Na década seguinte, a empresa foi reestruturada e assumiu o  nome atual, de Foshan Haitian Flavoring & Food. Na mudança, Kang investiu o equivalente a US$ 60.000 e se tornou o maior acionista da companhia e assumiu a presidência do empreendimento.  

O movimento levou a passos maiores da empresa, que abriu o capital em 2014 na Bolsa de Valores de Shanghai, na China. 

O bilionário adota um estilo de vida mais discreto, comportamento comum a muitos empresários chineses, e pouco se sabe sobre os seus hábitos e vida pessoal.

A companhia, apesar da abertura de capital, também não oferece muitos detalhes sobre a operação. 

Clique aqui para inscrever sua empresa no ranking EXAME Negócios em Expansão 2024

Acompanhe tudo sobre:BilionáriosChina

Mais de Negócios

Família Ling cria programa de R$ 50 milhões para reconstruir RS com sociedade civil

Na corrida pelo primeiro R$ 1 bi, Sankhya anuncia sexta aquisição e prevê mais duas até o fim do ano

Brazil Summit: encontro em NY reunirá lideranças para debater perspectivas de negócios do país

Planta da JBS em Mato Grosso do Sul será a maior unidade de bovinos da América Latina

Mais na Exame