Negócios

MP vai apurar cancelamentos e atrasos da Webjet

Ministério Público pediu explicações à empresa e à Anac sobre os problemas nos voos essa semana

A Webjet foi proibida pela Anac de vender passagens depois dos atrasos (Divulgação)

A Webjet foi proibida pela Anac de vender passagens depois dos atrasos (Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h42.

Brasília - O Ministério Público Federal (MPF) no Distrito Federal vai investigar as causas dos atrasos e cancelamentos de voos da companhia Webjet. O inquérito foi instaurado hoje (29) pelo procurador Marcus Marcelus Goulart. O procurador solicitou informações à empresa aérea e à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O MPF quer saber quantos voos foram cancelados ou registraram atraso superior a uma hora entre os dias 27 e 30 deste mês, o número de passageiros prejudicados e quais as providências tomadas pela Webjet.

O procurador solicitou ainda dados sobre reembolso e assistência aos passageiros e se os clientes foram informados sobre os motivos dos cancelamentos e atrasos. Em relação à Anac, o MPF requisitou informações sobre a fiscalização da empresa e as reclamações protocoladas contra a Webjet esta semana. A empresa e a Anac têm dez dias úteis para responder aos pedidos.

Desde segunda-feira (27), a maior parte dos voos da Webjet foi cancelada. A Anac determinou a interrupção da venda de passagens da empresa. Até a tarde de hoje (29), 53% dos voos da companhia foram cancelados, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Dos 66 voos programados para hoje, 35 foram cancelados e dez atrasaram mais de meia hora.

A Webjet informou que grande parte dos cancelamentos não ocorreu hoje. Segundo a empresa, os voos foram cancelados previamente e os passageiros avisados com antecedência e reacomodados em outros voos da própria empresa ou de outras companhias aéreas.

Leia mais sobre aviação

Siga as últimas notícias de Negócios no Twitter

 

Acompanhe tudo sobre:AnacAviaçãoAviõesFiscalizaçãoJustiçaSetor de transporte

Mais de Negócios

Após anúncio de parceria com Aliexpress, Magalu quer trazer mais produtos dos Estados Unidos

De entregadores a donos de fábrica: irmãos faturam R$ 3 milhões com pão de queijo mineiro

Como um adolescente de 17 anos transformou um empréstimo de US$ 1 mil em uma franquia bilionária

Um acordo de R$ 110 milhões em Bauru: sócios da Ikatec compram participação em empresa de tecnologia

Mais na Exame