Mercado Livre compra KPL em expansão no setor de software

A operação custou pelo menos 50 milhões de reais

São Paulo – A companhia de tecnologia em comércio eletrônico Mercado Livre anunciou nesta terça-feira a compra da produtora brasileira de software KPL, especializada em sistemas de gestão para empresas de varejo online, por pelo menos 50 milhões de reais.

A aquisição da KPL, a primeira feita pela unidade brasileira da latino-americana MercadoLivre desde 2005, tem como foco micro, pequenas e médias empresas e introduz o Mercado Livre no segmento conhecido como “ERP”, no qual atuam gigantes nacionais e internacionais como Totvs e SAP.

Segundo o MercadoLivre, a aquisição tem como objetivo complementar a oferta de serviços da companhia, que começou como um site de compra e venda de produtos por internautas em 1999 e se expandiu atualmente para uma plataforma de serviços de comércio eletrônico.

“É a primeira compra de algo que não entendemos, de algo que não é nosso expertise”, disse o diretor-geral do Mercado Livre no Brasil, Helisson Lemos, acrescentando que a importância da aquisição da KPL é estratégica para a empresa.

“O valor que a KPL passará a representar o faturamento total é marginal, apesar do volume a ser investido na empresa ser muito superior ao pagamento inicial de 50 milhões de reais”, disse Lemos.

“Porém, por ser um segmento ainda a ser explorado de ERP teremos muito a penetrar neste segmento e o fato de termos logistas que terão gestão mais profissional, isso vai gerar crescimento de outras unidades de negócio do Mercado Livre”, afirmou o executivo em referência a produtos como sistema de pagamento e de logística.

A KPL foi fundada há mais de 10 anos, tem cerca de 80 funcionários e mais de 300 clientes, incluindo nomes como Arezzo e redes de varejo como Lojas Leader e Decatlhon.

Segundo Lemos, do faturamento de 556,5 milhões de dólares obtido em 13 países em que o MercadoLivre opera, o Brasil é responsável por cerca de 50 a 60 por cento.

A fatia torna o desenvolvimento do grupo no país importante em um momento de aumento da competição por consumidores, com apostas de grupos como Amazon, Alibaba e o próprio eBay, acionista do MercadoLivre.

A ferramenta de ERP da KPL poderá ser vendida a comerciantes que não sejam já clientes do Mercado Livre, disse Lemos, assim como acontece atualmente com o recurso de meio de pagamentos da empresa.

Inicialmente, os produtos da KPL serão oferecidos apenas no Brasil, para depois serem levados “em algum momento” para outros países da base do MercadoLivre.

Lemos afirmou que a aquisição da KPL foi feita diretamente pela empresa, sem assessoria de bancos ou boutiques de investimento especializados em aquisições.

Segundo ele, não há outras negociações em vista para novas compras no Brasil. Nos últimos dois anos, o MercadoLivre fez uma série de aquisições na América Latina, incluindo empresas de software na Argentina e portais de compra e venda no Chile.

Suporte a Exame, por favor desabilite seu Adblock.