Hyundai é alvo de operações de busca na Alemanha e Luxemburgo

Empresas são acusadas de terem vendido mais de 210 mil veículos a diesel até 2020 com dispositivos não autorizados
Cerca de 140 investigadores realizaram buscas em oito locais na pertencentes às fabricantes (Justin Sullivan/Divulgação)
Cerca de 140 investigadores realizaram buscas em oito locais na pertencentes às fabricantes (Justin Sullivan/Divulgação)
A
AFP

Publicado em 29/06/2022 às 12:06.

Última atualização em 29/06/2022 às 12:13.

A fabricante de automóveis coreana Hyundai e sua subsidiária Kia foram alvos de buscas na Alemanha e em Luxemburgo na terça-feira, 28, como parte de uma investigação sobre a venda de "210 mil veículos" cujo motor a diesel foi supostamente adulterado. 

"Cerca de 140 investigadores realizaram buscas em oito locais na Alemanha e Luxemburgo" pertencentes às "fabricantes Kia e Hyundai", disse o Ministério Público de Frankfurt em comunicado enviado à AFP nesta quarta-feira, 29.

Quais são as tendências entre as maiores empresas do Brasil e do mundo? Assine a EXAME por menos de R$ 0,37/dia e descubra.

São acusadas de ter "vendido mais de 210 mil veículos a diesel até 2020 com dispositivos não autorizados", que permite reduzir artificialmente as emissões de CO2 dos motores, acrescentou.

Portanto, as duas fabricantes são processadas por "suspeita de fraude e poluição do ar, além de cumplicidade nesses crimes".

Essas operações foram "coordenadas pela Eurojust", a plataforma de cooperação judicial europeia, informou o MP.

O programa que permite a manipulação pertence ao provedor Delphi, que hoje pertence ao grupo americano BorgWarner, também foi acusado.

Durante as operações policiais, os investigadores procuraram "evidências, incluindo dados de comunicação, programas de computador e documentos de planejamento", segundo as autoridades alemãs.

Leia Também:

Ragazzo lança seis modelos de franquias a partir de R$ 225 mil

Com Linn da Quebrada, Ambev quer mais visibilidade trans no Dia do Orgulho LGBTQIA+