Para produzir Heineken, Amstel e Devassa, grupo investe R$ 1,8 bi em fábrica em MG

A fabricante de cervejas prevê a construção na cidade de Pedro Leopoldo para ampliar sua capacidade no país

O Grupo Heineken anunciou a intenção de construir uma nova cervejaria em Minas Gerais, na região metropolitana de Belo Horizonte, depois de se reunir com representantes da Secretaria da Fazenda de Minas Gerais e da Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (INDI).

De acordo com a fabricante de cervejas, a nova unidade deve gerar mais de 300 empregos diretos e apoiará o crescimento do Grupo no Brasil, especialmente no segmento de cervejas premium. Os rótulos que serão produzidos na unidade são Heineken, Amstel e Devassa.

O governador de Minas Gerais anunciou, em sua conta oficial no Twitter, que o investimento será de 1,8 bilhão de reais. "A chegada de uma grande empresa como o Grupo Heineken em Pedro Leopoldo é uma ótima notícia para Minas Gerais. Serão mais investimentos e empregos para os mineiros, algo que nosso governo tem se esforçado muito tornar possível", diz o governador Romeu Zema em nota. 

“A localização é estratégica para a companhia, uma vez que a região Sudeste é extremamente importante para o crescimento das categorias premium e mainstream. O Grupo Heineken acredita no Brasil e segue investindo para garantir que seus produtos cheguem a todos os consumidores e clientes em todo o país”, afirma Maurício Giamellaro, presidente do grupo Heineken no Brasil, em nota.

Essa será a 16ª fábrica da Heineken no país. Atualmente a empresa está presente em Alagoinhas (BA), Alexânia (GO), Araraquara (SP), Benevides (PA), Caxias (MA), Igarassu (PE), Igrejinha (RS), Itu (SP), Jacareí (SP), Pacatuba (CE), Ponta Grossa (PR) e Recife (PE), além de contar com duas micro cervejarias em Campos do Jordão (SP) e Blumenau (SC) e uma unidade de concentrados de refrigerantes em Manaus (AM). O Brasil já é o país mais relevante para o grupo em todo o mundo.

O grupo Heineken chegou ao Brasil em maio de 2010, após a aquisição da divisão de cerveja do Grupo FEMSA e, em 2017, adquiriu a Brasil Kirin, tornando-se o segundo player no mercado brasileiro de cervejas. O grupo gera mais de 13 mil empregos.

O portfólio de cervejas do grupo é composto por Heineken, Sol, Amstel, Kaiser, Bavaria, Eisenbahn, Baden Baden, Devassa, Schin, Glacial, No Grau e Kirin Ichiban. O portfólio de não alcoólicos inclui Água Schin, Schin Tônica, Skinka e os refrigerantes Itubaína, Viva Schin e FYs.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.