Garantia para concessão está quase pronta, diz Valec

Assessor disse que fórmula que dará garantias para investimentos nas concessões ferroviárias está próxima de uma resolução

	Obras da Valec de ampliação de ferrovia: segundo assessor, mecanismo dará "robustez" ao programa e atrairá empresas para as disputas dos projetos de ferrovias
 (Divulgação)
Obras da Valec de ampliação de ferrovia: segundo assessor, mecanismo dará "robustez" ao programa e atrairá empresas para as disputas dos projetos de ferrovias (Divulgação)
Por Wladimir D'AndradePublicado em 21/05/2014 21:59 | Última atualização em 21/05/2014 21:59Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo - O assessor da Superintendência de Operações da Valec, Alex Trevizan, disse que a fórmula que dará garantias ao setor privado para investimentos nas concessões ferroviárias está próxima de uma resolução. De acordo com ele, este mecanismo dará "robustez" ao programa e atrairá empresas para as disputas dos projetos de ferrovias.

"Acredito que 70% do sistema de garantias esteja pronto", disse, após participar do painel Expansão do Modal Ferroviário no 9º Encontro de Logística e Transportes, na capital paulista.

O agente fiduciário que está sendo discutido vai ser o elo entre a concessionária de ferrovia e a instituição financeira que vai deter os R$ 15 bilhões em títulos do Tesouro destinados a cobrir os pagamentos ao investidor em caso de calote da Valec. Investidores exigem um mecanismo que afaste o risco político da estatal Valec, que vai ser responsável pela maior parte da receita das concessionárias.

Trevizan não deu certeza de que a concessão da Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico) ocorrerá neste ano. O trecho vai ligar os municípios de Campinorte (GO) e Lucas do Rio Verde (MT).

Segundo ele, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) faz os últimos ajustes para publicar o edital, mas ainda busca ganhar a confiança da iniciativa privada no novo modelo ferroviário. "O mercado ainda precisa entender o modelo e sentir-se seguro", disse.

Ele, no entanto, afirmou que já há proponentes. "Há interessados nacionais e internacionais", disse, sem dar detalhes.