Negócios

Continental compra empresa israelense de tecnologia automotiva

Especialistas em segurança cibernética têm criticado a indústria por não ter feito mais para garantir a comunicação de veículos com recursos da rede

Segurança: a Continental disse que Argus agora passa a fazer parte da Elektrobit (Thinkstock/Thinkstock)

Segurança: a Continental disse que Argus agora passa a fazer parte da Elektrobit (Thinkstock/Thinkstock)

R

Reuters

Publicado em 3 de novembro de 2017 às 17h37.

Hamburgo/Frankfurt - A alemã Continental AG disse nesta sexta-feira que está comprando a israelense Argus Cyber ​​Security, cuja tecnologia protege os carros conectados contra hackers.

Os especialistas em segurança cibernética têm criticado a indústria automotiva por não ter feito mais para garantir a comunicação interna de veículos com recursos conectados à rede.

O perigo, dizem eles, é que, uma vez que a segurança externa seja violada, os hackers podem controlar sistemas de computadores a bordo que gerenciam tudo, desde motores e freios até ar-condicionado e dispositivos de informação e entretenimento.

A Argus já colabora com a Continental. Em outubro, a empresa lançou em conjunto com a Continental Elektrobit uma tecnologia para realizar atualizações de software de veículos over-the-air (OTA) - método de atualiação sem fio.

A Continental disse que Argus agora passa a fazer parte da Elektrobit e continuará a se engajar em relações comerciais com todos os fornecedores de automóveis globalmente.

O preço de compra não foi divulgado, embora a mídia israelense tenha relatado no início desta semana que a Continental pagaria cerca de 400 milhões de dólares pela Argus.

Fundada em 2013, a Argus levantou 30 milhões de dólares, incluindo 26 milhões de dólares há dois anos da Magna International, Allianz, SBI Group e dos fundos de capital de risco israelenses Magma e Vertex.

Acompanhe tudo sobre:AutoindústriaCarros autônomosEmpresas alemãsHackersInternetseguranca-digital

Mais de Negócios

Empreendedor produz 2,5 mil garrafas de vinho por ano na cidade

Após crise de R$ 5,7 bi, incorporadora PDG trabalha para restaurar confiança do cliente e do mercado

Após anúncio de parceria com Aliexpress, Magalu quer trazer mais produtos dos Estados Unidos

De entregadores a donos de fábrica: irmãos faturam R$ 3 milhões com pão de queijo mineiro

Mais na Exame