Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:
seloNegócios

A vida profissional de Roberto Nascimento está conectada diretamente com o mercado imobiliário e com a tecnologia. Formado em administração, foi um dos responsáveis por implantar a operação brasileira da gigante IBM em 1999. Mas ficou lá só por oito meses. No início do ano 2000, aproveitando o hype do início da internet, lançou um portal de classificados imobiliários digitais, o PlanetaImóvel. 

Mesmo numa época em que a internet dava, ainda, seus primeiros passos, o portal de Nascimento despontou. O banco de dados tinha mais de 300.000 listagens e recebia cerca de 40.000 visitantes diariamente. Os bons números chamaram atenção das grandes corporações: a Globo e o jornal Estado de São Paulo compraram a operação, que então passou a se chamar Zap Imóveis, hoje do grupo OLX. 

“Eu vivi muito numa época em que tinha que convencer a imobiliária que valeria a pena investir em mídia pela internet”, diz Nascimento. “Hoje, é muito diferente”. 

Do Zap, nunca mais saiu da “casinha” do mercado imobiliário. Trabalhou na área de tecnologia de grandes imobiliárias e abriu operações como a Imovelweb, outro nome conhecido do setor, e a Kzas, que foi adquirida pela Creditas, que atua com crédito imobiliário.

Já são pelo menos quatro negócios criados pelo empresário, todos na área de tecnologia, além de outras empresas em que atuou como diretor e investidor. “Eu gosto muito de começar as coisas”, diz.

Agora, então, vem a quinta criação do empreendedor. Nascimento é um dos fundadores da PipeImob, empresa que está nascendo neste ano para fazer a gestão e a digitalização dos documentos que envolvem a aquisição de um imóvel. A ideia é cortar - ou pelo menos, facilitar -as burocracias do setor. 

“Se você quiser comprar o imóvel, você vai ter que fazer, em média, 39 documentos”, diz. “Precisa fazer as assinaturas de contrato, pagar, mandar para o cartório, fazer avaliação, etc. Essa parte, hoje nas imobiliárias, continua artesanal. As pessoas mandam documento por WhatsApp, por e-mail, o controle jurídico é por planilha, é um gargalo total”. 

“Você pede um hambúrguer e consegue acompanhar em tempo real”, afirma. “No mercado imobiliário, você não consegue acompanhar nada”. 

E é um negócio, na visão de Nascimento, bilionário. Nos próximos seis meses, a empresa estima atingir R$ 1 bilhão em volume de imóveis transacionados mensalmente em sua plataforma.

Como surgiu a ideia de criar a PipeImob

Além de Nascimento, outros dois sócios compõem o trio de fundadores da PipeImob. Os dois parceiros do empreendedor, Danilo Herrero e Olavo Piton Junior, trabalhavam com imobiliárias e enfrentavam essa dificuldade de fazer a gestão dos documentos. 

“Quando conheci eles, a empresa estava no início e eu estava começando a desenvolver um projeto parecido”, diz Nascimento. “Comecei a falar da minha ideia e o pessoal começou a me falar sobre a PipeImob. Eu me reuni com os dois, que precisavam de um investidor, e decidimos tocar o negócio”.

Qual a estrutura da PipeImob hoje 

Hoje, já são 120 imobiliárias clientes da empresa de tecnologia. Em setembro, foram 520 transações, que movimentaram 220 milhões de reais.

Quando Danilo e Olavo criaram o negócio, cobravam uma mensalidade por uso, mas com a entrada de Nascimento e a transformação da operação, passaram a cobrar uma taxa por transação. 

E com essa gestão de documentação e de processos acontecendo digitalmente e de maneira mais organizada, novos produtos poderão ser lançados. Esse é um dos principais objetivos da PipeImob. 

“O propósito da empresa é melhorar a reputação do mercado imobiliário”, afirma Nascimento. “Hoje, quando você paga um sinal, esse valor fica parado na conta da imobiliária, porque você não consegue ver em que fase da compra está, quais os documentos que já foram aprovados, se a compra foi feita. Com mais segurança, você consegue garantir, por exemplo, com mais facilidade, a antecipação do corretor, porque consegue visualizar se a compra está sendo feita ou não”.

Quais as metas da PipeImob

Dos 220 milhões de reais que transacionaram em setembro, querem praticamente quadruplicar nos próximos seis meses, e de receita em um ano. Veja alguns objetivos:

  • Chegar a 1 bilhão de reais nos próximos seis meses
  • Fechar contratos com grandes imobiliárias, como Auxiliadora Predial e a Foxter
  • Alcançar um valor geral de vendas (VGV) de R$ 1 bilhão por mês em seis meses

Como está o mercado imobiliário 

As proptechs têm dado um chacoalhão no setor imobiliário nos últimos anos, principalmente com a pandemia. Entre maio de 2021 e maio de 2022, o número de empresas ativas no setor cresceu 13,82%, e as rodadas de investimentos nas chamadas proptechs e construtechs movimentaram R$ 5,8 bilhões, de acordo com a Terracota.

Um dos exemplos mais citados é do Quinto Andar, unicórnio brasileiro que simplificou o processo de locação de imóveis. Hoje, a startup é uma referência no setor e já vale 5,1 bilhões de dólares.

A perspectiva do setor, agora, é de crescimento. O tamanho do mercado global PropTech deve atingir US$ 64,3 bilhões até 2028, aumentando a um crescimento de mercado de 15,4% por ano durante o período de previsão.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Ele tinha uma missão: tirar o milkshake do lugar de coadjuvante. Agora, fatura R$ 210 milhões

seloNegócios

Ele tinha uma missão: tirar o milkshake do lugar de coadjuvante. Agora, fatura R$ 210 milhões

Há 20 horas

Justiça dos EUA aceita parte de pedido da Gol, que acusa Latam de tentar tomar aviões e pilotos

seloNegócios

Justiça dos EUA aceita parte de pedido da Gol, que acusa Latam de tentar tomar aviões e pilotos

Há 20 horas

Morre aos 97 anos Luiza Trajano Donato, fundadora do Magazine Luiza

seloNegócios

Morre aos 97 anos Luiza Trajano Donato, fundadora do Magazine Luiza

Há um dia

Stanley inaugurou a sua primeira loja no Sul do país. Qual é o modelo para abrir unidades da marca?

seloNegócios

Stanley inaugurou a sua primeira loja no Sul do país. Qual é o modelo para abrir unidades da marca?

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

A regulamentação de cigarros eletrônicos pode trazer mais segurança para o consumidor?

A regulamentação de cigarros eletrônicos pode trazer mais segurança para o consumidor?

Escritórios Verdes, da JBS, regularizam 8 mil fazendas
EXAME Agro

Escritórios Verdes, da JBS, regularizam 8 mil fazendas

“Deixei o mundo corporativo para empreender com a Herbalife”

“Deixei o mundo corporativo para empreender com a Herbalife”

Loja pop-up da Lacoste em Trancoso conecta a marca com o verão brasileiro

Loja pop-up da Lacoste em Trancoso conecta a marca com o verão brasileiro

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais