Negócios

Banco do Brasil tem lucro líquido de R$2,5 bi no 4º tri

O resultado representa uma queda ante os 2,959 bilhões de reais no mesmo período de 2014


	Banco do Brasil: o resultado representa uma queda ante os 2,959 bilhões de reais no mesmo período de 2014
 (VEJA RIO)

Banco do Brasil: o resultado representa uma queda ante os 2,959 bilhões de reais no mesmo período de 2014 (VEJA RIO)

DR

Da Redação

Publicado em 25 de fevereiro de 2016 às 09h18.

São Paulo - O Banco do Brasil teve lucro menor no quarto trimestre, resultado afetado por baixo crescimento do crédito e maiores provisões para perdas com calotes.

O maior banco do país em ativos teve lucro líquido de 2,512 bilhões de reais no período, queda de 15,1 por cento sobre um ano antes. Na base ajustada, o lucro foi de 2,648 bilhões de reais no período, queda de 12,3 por cento sobre um ano antes. A previsão média de oito analistas ouvidos pela Reuters apontava para lucro ajustado de 2,509 bilhões de reais.

Um dos fatores que pesaram no resultado foi a expansão fraca da carteira de crédito ampliada, de 6,9 por cento, a 814,8 bilhões de reais. A carteira no país evoluiu apenas 5,9 por cento em 2015, abaixo da previsão do BB, de 7 a 11 por cento. A carteira do agronegócio foi destaque negativo, subindo 6,1 por cento, contra expansão prevista de 10 a 14 por cento.

Além disso, o índice de inadimplência, medido pelo saldo de operações vencidas com mais de 90 dias, atingiu 2,38 por cento, acima dos 2,19 por cento do trimestre anterior e dos 2,03 por cento do último trimestre de 2014.

Para 2016, o BB afirmou que espera um crescimento da carteira de crédito ampliada de entre 3 e 6 por cento no Brasil. Para o agronegócio, a expectativa é de alta de 6 a 9 por cento.

Diante do cenário de recessão do país, que pode piorar ainda mais a qualidade da carteira de empréstimos, o BB provisionou 7,33 bilhões de reais para perdas com calotes, um salto de 40,9 por cento na comparação ano a ano. No acumulado de 2015, a provisão para essa linha também ficou acima da faixa prevista.

Com isso, a rentabilidade sobre o patrimônio líquido no trimestre caiu a 11,4 por cento, ante 14,6 por cento do último trimestre do ano anterior.

Texto atualizado às 9h18.

Acompanhe tudo sobre:BancosBB – Banco do BrasilEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasFinançasLucro

Mais de Negócios

Um acordo de R$ 110 milhões em Bauru: sócios da Ikatec compram participação em empresa de tecnologia

Por que uma rede de ursinho de pelúcia decidiu investir R$ 100 milhões num hotel temático em Gramado

Di Santinni compra marca gaúcha de calçados por R$ 36 milhões

Para se recuperar, empresas do maior hub de inovação do RS precisam de R$ 155 milhões em empréstimos

Mais na Exame