UE e Reino Unido chegam finalmente a acordo comercial do Brexit

 O Reino Unido chegou a um acordo comercial do Brexit com a União Europeia nesta quinta-feira, a apenas sete dias de deixar o bloco

 O Reino Unido chegou a um acordo comercial do Brexit com a União Europeia nesta quinta-feira, 24, sete dias antes de deixar um dos maiores blocos comerciais do mundo.

O governo do Reino Unido emitiu um comunicado oficial no qual anuncia o acordo, segundo o jornal britânico The Guardian. "Tudo o que foi prometido ao público britânico durante o referendo de 2016 e nas eleições do ano passado é entregue por este acordo", diz a nota de Downing Street.

No texto, o governo britânico alega que retomou o "controle do nosso dinheiro, fronteiras, leis, comércio e nossas águas de pesca" e que este é o primeiro acordo de livre comércio baseado em tarifas zero e cotas zero que já foi alcançado com a UE. O comunicado também exalta o "tempo recorde" e as "condições extremamente desafiadoras" sob as quais o acordo foi assinado.

Em tese, o anúncio na véspera de Natal dará tempo para que os 27 países membros da UE aprovem o acordo antes do dia 31 de dezembro, quando se encerra o período de transição pós-Brexit. O texto, de mais de 500 páginas, segundo o governo britânico, precisará também ser ratificado pelos parlamentares do país.

Em coletiva de imprensa, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson comparou o novo acordo com o que o Canadá atualmente tem com a União Europeia.

"O acordo protegerá empregos, permitirá que produtos do Reino Unido sejam vendidos sem tarifas e cotas no mercado da UE, permitirá que as empresas façam ainda mais negócios com a Europa", diz Johnson.

A partir do dia 1º de janeiro, o Reino Unido está fora da união aduaneira e do mercado único europeu.

Pelo Twitter, a presidente da Comissão da União Europeia, Ursula von der Leyen, disse que valeu a pena lutar pelo acordo. "Agora temos um acordo justo e balanceado com o Reino Unido. Vai proteger os nossos interesses, garantir a competição justa e fornecer previsibilidade para nossas comunidades pesqueiras", escreveu. 

Em uma conferência realizada nesta quinta-feira, 24, von der Leyen disse que a União Europeia continuará a operar em conjunto com o Reino Unido em áreas de interesse mútuo, como mudanças climáticas, energia e transporte. "Para todos os europeus, eu digo, é hora de deixar o Brexit para trás. Nosso futuro é feito na Europa", diz a presidente. 

A presidente também informou que há "medidas fortes" previstas no texto para evitar que alguma das partes não cumpra as regras. Depois de quatro anos, haverá uma revisão do texto para ver "se as condições de jogo ainda são iguais".

Outras figuras políticas também comentaram o acordo. Pelo Twitter, a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, relembrou que a saída do Reino Unido do bloco econômico está acontecendo contra a vontade da Escócia. "Não há acordo que possa compensar o que o Brexit tira de nós. É hora de traçar nosso próprio futuro como uma nação europeia independente", escreveu.

Boris Johnson também usou a rede social para comentar a notícia. Ele publicou uma foto alegre com a legenda "o acordo está feito". Ele assumiu o cargo em julho de 2019, após sua antecessora Theresa May ter falhado em conseguir aprovar um acordo de saída com o parlamento britânico.

May também se pronunciou no Twitter. "Boas notícias de que o Reino Unido e a UE chegaram a um acordo que proporciona confiança aos negócios e ajuda a manter o fluxo comercial. Estou ansiosa para ver os detalhes nos próximos dias", disse a ex-primeira-ministra.

David Cameron, que estava no poder em 2016 quando o plebiscito do Brexit foi aprovado, disse que é "bom terminar um ano difícil com notícias positivas". Para o ex-primeiro-ministro, o acordo comercial é um passo vital na construção de um novo relacionamento entre o Reino Unido e a UE. "Parabéns à equipe de negociação do Reino Unido", escreveu o político.

 

 


 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também