Ucrânia não se resigna a aceitar perda da Crimeia

O presidente interino da Ucrânia, Aleksandr Turchinov, afirmou que seu país não se resigna a aceitar a perda da Crimeia

Kiev - O presidente interino da Ucrânia, Aleksandr Turchinov, afirmou nesta sexta-feira que seu país não se resigna a aceitar a perda da Crimeia, depois que o presidente russo, Vladimir Putin, promulgou hoje a incorporação da península à Rússia.

"A Ucrânia nunca se resignará a aceitar a ocupação de seu território e fará todo o possível para sua libertação", disse Turchinov em entrevista coletiva ao lado do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

Turchinov ressaltou que Kiev está disposto a solucionar o conflito na Crimeia apenas através dos meios pacíficos e com a mediação da ONU, após a proposta da criação de uma zona desmilitarizada.

"Quando os soldados de ambos os grupos abandonarem a Crimeia, os problemas serão resolvidos exclusivamente por meios pacíficos", apontou.

Além disso,Turchinov pediu à ONU que envie uma missão de observadores à península banhada pelo Mar Negro.

"Isto é especialmente importante em uma situação na qual diariamente há provocações contra os militares ucranianos que cumprem o dever constitucional na Crimeia", disse.

Ban advogou pelo diálogo entre Ucrânia e Rússia, e chamou ambas as partes a se abster da retórica hostil e das provocações.

"A atual crise só se pode ser resolvida pela via pacífica e diplomática, apoiando-se nos princípios da Carta da ONU: a soberania e a integridade territorial", disse.

O secretário-geral da ONU reconheceu sua preocupação com o fato de que a resolução apresentada pelas potências ocidentais sobre a Crimeia foram vetada pela Rússia.

"Insisto que a Ucrânia e Rússia entabulem um diálogo direto. Quanto mais dilatado por este diálogo, a solução da crise cada vez mais se afastará", assinalou.

Ban ressaltou que "não pode prever os próximos passos ou reações de Putin", mas chamou toda a comunidade internacional a evitar que o atual conflito passe de regional a global.

Com relação ao diálogo, Turchinov ressaltou que Kiev está disposta a mantê-lo em qualquer formato, mas sempre que Moscou retire suas tropas da Crimeia.

Putin promulgou hoje a incorporação da República da Crimeia e do porto de Sebastopol à Rússia, depois que ambas as câmaras do parlamento russo ratificaram na quinta-feira e sexta-feira as leis correspondentes.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.