Turquia renunciará ao sistema de pagamentos russo Mir

Três bancos públicos turcos - HalkBank, Ziraat e Vakifbank usavam o sistema russo com cartões Mir
Ziraat Katilim Bankasi A.S. sucursal, no distrito de Sisli, em Istambul, Turquia (Nicole Tung/Getty Images)
Ziraat Katilim Bankasi A.S. sucursal, no distrito de Sisli, em Istambul, Turquia (Nicole Tung/Getty Images)
A
AFPPublicado em 28/09/2022 às 09:43.

Os três bancos públicos turcos que usavam o sistema russo de pagamentos Mir irão suspender seu uso, anunciou um alto funcionário turco à AFP nesta quarta-feira (28).

"Há pagamentos em andamento, mas uma data futura foi definida para isso", disse a fonte à AFP, falando sob condição de anonimato.

Três bancos públicos turcos - HalkBank, Ziraat e Vakifbank - usavam o sistema russo com cartões Mir.

Os dois bancos privados turcos, Denizbank e Isbank, já haviam anunciado na semana passada que estavam desistindo do uso desse sistema.

O Kremlin denunciou nesta quarta-feira uma "pressão sem precedentes" dos Estados Unidos sobre a Turquia.

"A decisão, obviamente, foi tomada sob uma pressão sem precedentes" de Washington, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, e falou de uma "situação complexa" para os bancos turcos que usavam os cartões Mir e que agora estão "ameaçados pelas sanções econômicas dos Estados Unidos".

Na sexta-feira, o Uzbequistão anunciou a suspensão, por motivos técnicos, desses cartões bancários, que agora funcionam apenas em alguns países, entre eles Belarus.

A Turquia, um país muito dependente do gás e do petróleo russo, não aderiu às sanções ocidentais contra a Rússia após a invasão da Ucrânia. O país, que é o destino favorito dos turistas russos, recebeu um grande fluxo de cidadãos russos desde o início da guerra.

Ancara anunciou uma ampliação do alcance do sistema Mir na Turquia após uma reunião em agosto entre o presidente Recep Tayyip Erdogan e seu homólogo russo, Vladimir Putin.

Mas os Estados Unidos alertaram que as empresas e instituições turcas que fizeram negócios com a Rússia poderiam enfrentar sanções.

Veja também: 

Vazamento de gasodutos russos pode virar desastre ‘sem precedentes’

EUA apreende 36 milhões de doses de fentanil em menos de quatro meses