Rodada de Doha é uma mula empacada, diz OMC

Diretor-geral explicou que, apesar de a organização ser confiável, negociações comerciais não conseguem ir para a frente

Genebra - As negociações de Doha sobre a liberalização do comércio, que os países membros da OMC prometeram concluir em 2011, parecem uma mula que não quer avançar, afirmou nesta quinta-feira o diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Pascal Lamy.

As negociações comerciais estão num momento difícil, segundo Lamy numa coletiva de imprensa.

"Para muitas pessoas, a OMC é como uma mula. Um animal confiável e resistente com que se pode contar", acrescentou, enfatizando que "uma mula não dá passos para trás".

"A dificuldade com as mulas é que, às vezes, elas param. Não vão para trás, mas se negam a avançar. É o que está acontecendo com as negociações comerciais agora", afirmou.

A Rodada de Doha, as negociações para a liberação do comércio internacional, foi iniciada no final de 2001 e está paralisada em função das reclamações dos países emergentes, que pretendem maior acesso aos mercados agrícolas dos países ricos, enquanto que estes exigem uma abertura maior para seus produtos industriais e bens de serviços no resto do mundo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.