Mundo

Protestos na Tunísia derrubam call centers na França

Empresas francesas tercerizaram atendimento para o país africano para reduzir os custos

Os protestos na Tunísia levaram a saída do presidente Zine al-Abidine Ben Ali (Franck Prevel/Getty Images)

Os protestos na Tunísia levaram a saída do presidente Zine al-Abidine Ben Ali (Franck Prevel/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 14 de junho de 2011 às 20h00.

Paris - Grandes protestos de rua na Tunísia interromperam atividade de centros de atendimento a clientes de empresas francesas, deixando clientes pendurados sem atendimentos, disseram autoridades.

Os protestos forçaram os centros de atendimento na Tunísia a fecharem as portas ou reduzirem horários, obrigando algumas empresas a redirecionar chamadas para centrais na França.

O grupo francês Teleperformance, maior operadora mundial de call center, afirmou que reabriu todos os seus centros na Tunísia depois de interrupções graves na segunda-feira. Apesar disso, o horário de atendimento foi reduzido por causa do toque de recolher imposto no país.

Um porta-voz da France Telecom afirmou à Reuters na segunda-feira que as chamadas estavam sendo redirecionadas para a França e citou que cerca de 9 por cento das ligações dos usuários de Internet da empresa são administradas a partir de centrais na Tunísia.

Operadoras de telecomunicações e outras empresas têm ampliado a terceirização de centrais de atendimento a clientes para países do Norte da África como Marrocos e Tunísia, em uma estratégia para reduzir custos.

A Tunísia tem sido abalada por quatro semanas de protestos de ruas que algumas vezes se tornam violentos e culminaram com a saída do presidente Zine al-Abidine Ben Ali, na sexta-feira.

Acompanhe tudo sobre:ÁfricaCall centersEuropaFrançagestao-de-negociosPaíses ricosPolítica no BrasilPrimavera árabeProtestosTunísia

Mais de Mundo

Governo Lula se diz irritado com falas de Maduro, mas evita responder declarações

Netanyahu discursa no Congresso americano sob protestos de rua e boicote de dezenas de democratas

Em discurso a irmandade negra, Kamala pede ajuda para registrar eleitores e mobilizar base a votar

Grupo armado sequestra 13 pessoas perto da fronteira da Colômbia com a Venezuela

Mais na Exame