Presidente do Egito defende saída de Assad da Síria

Mohamed Mursi, de 61 anos, que chegou ao poder pela Irmandade Muçulmana, falou à Reuters antes de viajar nesta semana à China e ao Irã

Cairo - O novo presidente islâmico do Egito, se preparando para estrear na diplomacia mundial com uma iniciativa sobre a crise síria, pediu nesta segunda-feira aos aliados do presidente da Síria, Bashar al-Assad, para que ajudem a tirá-lo do poder.

"Agora é tempo de acabar com esse derramamento de sangue, de o povo sírio reconquistar seus plenos direitos e desse regime que mata seu povo sair de cena", disse Mohamed Mursi em sua primeira entrevista à Reuters.

Mursi, de 61 anos, que chegou ao poder pela Irmandade Muçulmana, falou à Reuters antes de viajar nesta semana à China e ao Irã, dois países que, junto à Rússia, se opuseram até agora aos apelos árabes e ocidentais para acabar com o regime de Assad.

"Não há espaço para falar sobre reforma, mas a discussão é sobre mudança", disse Mursi, acrescentando que o Egito repetiu que "os amigos do povo sírio na China e na Rússia e em outros países" precisam apoiar os sírios comuns.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.