Polícia prende suspeito de atirar em metrô de Nova York

Frank James, suspeito autor do ataque a tiros no metrô de Nova York foi preso por policiais no bairro de East Village, em Nova York
Foto divulgada pela polícia do homem de 62 anos identificado como Frank James (AFP/AFP)
Foto divulgada pela polícia do homem de 62 anos identificado como Frank James (AFP/AFP)
D
Da redação, com agências

Publicado em 13/04/2022 às 15:41.

Última atualização em 13/04/2022 às 15:50.

A polícia de Nova York prendeu nesta quarta-feira, 13, Frank James, suspeito de ser o autor do ataque a tiros no metrô. Segundo o último balanço do tiroteio, que não está sendo investigado como um ato terrorista, 10 pessoas ficaram feridas à bala e outras 13 por inalar fumaça ou no empurra-empurra durante a fuga.

O suspeito foi encontrado por policiais em ronda no bairro de East Village na 9ª delegacia, no centro da cidade. O prefeito de Nova York, Eric Adams anunciou a prisão em entrevista coletiva.

A polícia identificou Frank James, um afro-americano de 62 anos, como suspeito de cometer o ataque, e enviou um alerta em inglês e espanhol aos telefones celulares pedindo a colaboração da população para encontrá-lo. As autoridades oferecem 50.000 dólares de recompensa por qualquer informação que leve à sua prisão.

Seu cartão de crédito e as chaves da van que ele havia alugado na Filadélfia foram encontrados no local do ataque. James já havia postado vários vídeos no YouTube, nos quais aparece fazendo longos, e às vezes agressivos, comentários políticos, incluindo críticas ao prefeito Adams, um ex-capitão da polícia que defende mão dura nas ações de segurança na maior cidade do país.

Nova York registra este ano um aumento dos tiroteios e uma retomada dos crimes violentos. Até o dia 3 de abril, os incidentes com armas subiram para 296, enquanto, no mesmo período do ano passado, foram registrados 260, segundo as estatísticas da polícia.

Leis brandas sobre armas e o direito constitucional de portar armamento têm frustrado repetidamente as tentativas de reduzir o número de armas em circulação no país, apesar de a maioria da população americana ser favorável a controles mais rígidos.

*Com AFP