Para MST, perda de Chávez é irreparável para América Latina

"Chávez supôs uma década de derrotas ao neoliberalismo, aos setores da burguesia, aos servidores dos interesses do capital estrangeiro", afirma uma nota do MST

Brasília - A morte do presidente venezuelano, Hugo Chávez, representa uma perda irreparável para os povos da América Latina, declarou nesta quarta-feira o líder do Movimento dos Sem Terra (MST), João Pedro Stédile.

"Chávez supôs uma década de derrotas ao neoliberalismo, aos setores da burguesia, aos servidores dos interesses do capital estrangeiro", afirma uma nota do MST.

"Chávez nos fará falta", afirma a declaração. "Seu exemplo e lucidez servirão de ânimo para a toda a militância social da América Latina, para todas as forças populares e para os governos progressistas, para que possam continuar construindo processos de verdadeira libertação popular".

Um acampamento do MST instalado na terça-feira em uma área central de Brasília foi batizado como "Hugo Chávez" em homenagem ao presidente morto.

"Hugo Chávez presente", afirmava um cartaz no local.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.