Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Opositor diz que comerá relógio se Morales vencer com 60%

Dados oficiais de apuração dão a Morales a vitória com quase 55% de apoio, seguido pelo empresário conservador Samuel Doria Medina e por Jorge Quiroga

La Paz - O ex-presidente boliviano Jorge Quiroga (2001-2002), candidato presidencial pelo Partido Democrata Cristão no pleito do último domingo, reiterou nesta terça-feira que mantém sua promessa de comer seu relógio se o presidente Evo Morales ganhar as eleições com 60% dos votos.

Os dados oficiais de apuração de 57,4% das urnas dão a Morales a vitória com quase 55% de apoio, seguido pelo empresário conservador Samuel Doria Medina (28,6%) e por Quiroga, que teria alcançado 11,16%.

"Veremos, ainda há tempo, mas vamos aguardar os resultados", disse em entrevista coletiva o candidato opositor, que assegurou que tem suficiente molho de tomate e também llajua (um molho picante típico da Bolívia) para cumprir sua promessa.

Além dos dados oficiais divulgados até agora, as pesquisas de boca de urna divulgadas na noite da eleição davam a Morales a vitória com quase 60%.

No último mês de setembro, Quiroga já tinha anunciado, após a divulgação das primeiras pesquisas sobre as eleições, que, se seis de cada dez pessoas votassem em Morales, ele comeria seu relógio.

Agora que as previsões parecem estar perto de cumprir-se, vários bolivianos lhe reivindicam com ironia através das redes sociais que cumpra sua promessa.

"Por isso Evo Morales está querendo os 60%, para me ver comer meu relógio", ironizou o ex-presidente.

Quiroga também criticou hoje a atuação do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) no pleito, já que este órgão demorou mais de 24 horas para divulgar os dados oficiais de apuração devido a problemas técnicos e a uma suposta ameaça de sabotagem informática.

O opositor denunciou que o TSE, ao qual qualificou de "servil" e "ineficiente", está manipulando os resultados para "roubar" cadeiras da oposição e inflar a votação por Morales em áreas rurais.

"Nunca na história recente democrática da Bolívia se teve semelhante demonstração de inaptidão, incapacidade e ineficiência do órgão eleitoral", lamentou Quiroga.

Esta é a segunda vez que Quiroga é derrotado por Morales em eleições, já que ambos se enfrentaram também no pleito de 2005, no qual o atual governante se tornou o primeiro presidente indígena da Bolívia.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também