Nova Zelândia registra primeiro dia sem novos casos de covid-19

A última vez que isso aconteceu foi em 16 de março, 9 dias antes do lockdown; país anunciou na semana passada que iria afrouxar a quarentena

Jacinda Ardern: primeira-ministra diz que bons resultados se dão pelo isolamento social (Hagen Hopkins/Getty Images)

Jacinda Ardern: primeira-ministra diz que bons resultados se dão pelo isolamento social (Hagen Hopkins/Getty Images)

Tamires Vitorio

Tamires Vitorio

Publicado em 4 de maio de 2020 às 10h03.

Última atualização em 4 de maio de 2020 às 10h08.

A Nova Zelândia está indo cada vez mais na contramão dos outros países em relação à pandemia do novo coronavírus. Nesta segunda-feira (4), o país registrou o período recorde de um dia sem novos casos de infecção pela covid-19 desde a instauração da quarentena. A última vez que isso aconteceu foi em 16 de março, 9 dias antes do lockdown.

Na última semana, a primeira-ministra neozelandesa, Jacinda Ardern, anunciou que o país não havia registrado mais casos de contágios locais de coronavírus, um fator importante para o afrouxamento do isolamento social. A Nova Zelândia teve 1.487 casos confirmados e apenas 20 mortes, em um total de 4,886 milhões de habitantes. 86% dos doentes foram recuperados.

Apesar do número positivo, o diretor-geral da área de saúde da Nova Zelândia, Ashley Bloomfield, afirmou que a população precisa continuar "vigilante". E a primeira-ministra ressaltou a importância de continuar obedecendo as regras da quarentena para os resultados continuarem bons. "Qualquer ganho visto nesse momento é mérito do período de lockdown", disse ela.

Enquanto isso, neste domingo (3), o Brasil ultrapassou a marca de 100.000 casos confirmados e 7.025 mortes, segundo os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde, e se tornou o 6º país com o maior número de mortes pela doença no mundo.

As últimas notícias da pandemia do novo coronavírus

Mais de Mundo

Ordem judicial retira da oposição venezuelana o controle de um de seus maiores partidos

Equador captura líder criminoso foragido que ameaçou procuradora-geral

Polônia indica que poderia abrigar armas nucleares de outros membros da Otan para conter Rússia

Após prisões em Columbia, protestos contra a guerra em Gaza se espalham por universidades dos EUA

Mais na Exame