Município peruano multará quem jogar Pokémon GO à noite

De acordo com a prefeitura, o aplicativo "acarreta consequências nocivas que repercutem na tranquilidade e na segurança dos moradores e visitantes"

Lima - O município peruano de La Punta, próximo a Lima, multará com 395 soles (R$ 380) as pessoas que jogarem Pokémon GO pelas ruas à noite e também as que usarem o aplicativo durante o dia fora de regiões previamente estabelecidas.

A prefeitura proibiu em ordem municipal a prática de games que utilizam o recurso da realidade aumentada a partir da meia-noite até as 6h. A cidade estabeleceu sete regiões onde as pessoas poderão caçar pokémon dentro do horário permitido.

A ordem afirma que Pokémon GO se encontra em pleno apogeu e reúne uma grande quantidade de jogadores nos espaços públicos, a maioria menores de idade.

De acordo com a prefeitura, o aplicativo "acarreta consequências nocivas que repercutem na tranquilidade, na integridade e na segurança dos moradores e visitantes".

As autoridades denunciaram que a concentração em massa de jogadores provoca "confrontos violentos, danos à propriedade privada e pública, e atos de vandalismo, além de promoverem a afluência de pessoas que cometem crimes contra o patrimônio".

A prefeitura também determinou que os encontros previamente organizados entre muitos jogadores deverão contar com a autorização municipal correspondente.

José Luis Villarán, um advogado que habitualmente vai a La Punta para jogar Pokémon GO, explicou à Agência Efe que compreende a medida da prefeitura, mas disse nunca presenciou nenhum problema na cidade.

"No entanto, em outros lugares, em Lima, fui jogar às 3h da madrugada e existem pessoas que vão para fazer algazarra e beber. Se eu morasse na região, certamente não gostaria", contou.

Villarán afirmou que a maior desordem que já viu entre jogadores em La Punta é quando as pessoas correm "em manada" de um quarteirão a outro para que um determinado pokémon não escape.

Andrés Pérez, outro jogador que costuma caçar pokémon em La Punta, disse que "quando aparece um pokémon raro, todo o mundo se mobiliza".

"Falaram que só se pode jogar até meia-noite, mas normalmente vemos pessoas às 2h ou 3h da madrugada porque elas chegam tranquilas com os filhos, de bicicleta, ou com o cachorro, e respeitamos as áreas verdes e a praia", declarou. EFE

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.