Mundo

Manifestantes protestam contra o turismo de massa em Barcelona

Cerca de 2.800 manifestantes marcharam pela zona litorânea de Barcelona e exigiram uma mudança no modelo econômico que reduza o fluxo turístico na cidade

Barcelona: para combater "os efeitos negativos do turismo de massa”, a prefeitura liderada pelo socialista Jaume Collboni anunciou recentemente a intenção de eliminar os apartamentos de uso turístico (Getty Images/Getty Images)

Barcelona: para combater "os efeitos negativos do turismo de massa”, a prefeitura liderada pelo socialista Jaume Collboni anunciou recentemente a intenção de eliminar os apartamentos de uso turístico (Getty Images/Getty Images)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 6 de julho de 2024 às 17h09.

Milhares de pessoas se manifestaram neste sábado, 6, em Barcelona contra o turismo de massa e seus efeitos sobre os habitantes desta cidade, que recebe milhões de visitantes todos os anos, juntando-se a protestos semelhantes ocorridos em diferentes pontos da Espanha.

Sob o lema “Basta! Ponhamos limite ao turismo!”, cerca de 2.800 manifestantes - segundo a Guarda Urbana - marcharam pela movimentada zona litorânea de Barcelona e exigiram uma mudança no modelo econômico que reduza o fluxo turístico na cidade, que recebe o maior número de visitantes estrangeiros da Espanha, segundo dados municipais.

"Não tenho nada contra o turismo, mas sim contra o excesso de turismo que estamos sofrendo em Barcelona, porque isso torna a cidade insustentável", afirmou Jordi Guiu, um sociólogo de 70 anos, no início do protesto.

Aumento do preço dos imóveis

Carregando uma faixa que pedia o "decréscimo do turismo já", os manifestantes entoaram gritos como "fora, turistas, de nossos bairros" e pararam em frente a alguns hotéis, surpreendendo os visitantes.

O aumento dos preços dos imóveis - cujos aluguéis subiram 68% na última década em Barcelona, segundo a prefeitura - é uma das questões que mais preocupa esses grupos, assim como os efeitos do turismo no comércio local, no meio ambiente e nas condições de trabalho de seus 1,6 milhão de habitantes.

"Os comércios de toda a vida estão fechando para dar lugar a um modelo de negócio que não é o que o bairro precisa. As pessoas (...) não conseguem pagar os aluguéis, têm que sair", explicou Isa Miralles, uma musicista de 35 anos que mora no bairro de La Barceloneta.

Localizada na costa nordeste da Espanha e com pontos de atração internacional como a Sagrada Família, Barcelona recebeu mais de 12 milhões de turistas em seus hotéis, apartamentos de uso turístico e albergues no ano passado, segundo dados municipais.

Fim dos apartamentos de uso turístico

Para combater "os efeitos negativos do turismo de massa”, a prefeitura liderada pelo socialista Jaume Collboni anunciou recentemente a intenção de eliminar os apartamentos de uso turístico - atualmente mais de 10.000 - até o final de 2028, para que retornem ao mercado e aumentem a oferta.

A medida já despertou críticas de alguns setores, como a associação de Apartamentos Turísticos, que considera que isso aumentará o mercado ilegal.

A manifestação em Barcelona segue o exemplo de outros protestos que reuniram milhares de pessoas em outros pontos turísticos como Málaga, Palma de Mallorca e as Ilhas Canárias.

Segundo destino turístico mundial depois da França, a Espanha recebeu 85 milhões de visitantes estrangeiros em 2023, um aumento de 18,7% em relação ao ano anterior, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

A região mais visitada foi a Catalunha - cuja capital é Barcelona - com 18 milhões de visitantes, seguida pelas Ilhas Baleares (14,4 milhões) e as Ilhas Canárias (13,9 milhões).

Acompanhe tudo sobre:Barcelona (Espanha)

Mais de Mundo

Grupo armado sequestra 13 pessoas perto da fronteira da Colômbia com a Venezuela

Diretor do FBI diz que autor do atentado contra Trump operou drone na área do comício

Disneylândia evita greve ao chegar a acordo provisório com sindicatos

Incêndio no Aeroporto JFK deixa ao menos 9 feridos, e quase mil pessoas são evacuadas, em Nova York

Mais na Exame