Manifestantes e polícia no centro de Kiev estabelecem trégua

Manifestantes e a tropa de choque da polícia, que protagonizaram violentos enfrentamentos, chegaram a um acordo para uma trégua

Kiev - Os manifestantes e a tropa de choque da polícia, que protagonizaram violentos enfrentamentos por cinco dias seguidos no centro de Kiev, chegaram a um acordo para uma trégua nesta quinta-feira, enquanto são esperados os resultados das negociações entre os líderes da oposição e o presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovich.

O fim dos confrontos, que segundo a oposição deixaram seis mortos e centenas de feridos, foi uma proposta do líder do partido opositor Udar, Vitali Klitschko, e permanecerá em vigor até às 20h locais (16h de Brasília).

"Às 20h voltarei para informar sobre as negociações", afirmou o dirigente aos manifestantes reunidos em torno das barricadas instaladas em frente ao cordão policial, segundo a imprensa local.

Klitschko disse que o choque se comprometeu a não disparar bombas de efeito moral durante a trégua.

Ao mesmo tempo, pediu que não sejam desmontadas as barricadas, algumas com até quatro metros de altura, que os manifestantes ergueram no centro de Kiev.

O líder adiantou que nas negociações com Yanukovich a oposição colocará a revogação das leis repressivas que entraram em vigor ontem, a cassação não só do ministro do Interior, Vitali Zajarchenko, mas do gabinete em plenário, e a realização de eleições presidenciais antecipadas.

"As possibilidades que isso ocorra não são muitas, mas existem", disse Klitschko ao referir-se ao adiantamento das eleições presidenciais.

Os protestos antigoverno eclodiram no fim de novembro, quando o governo de Yanukovich renunciou provisoriamente a assinar um acordo de associação com a União Europeia.

Embora anteriormente haviam sido registrados alguns enfrentamentos entre opositores e policiais, até domingo passado, quando o centro de Kiev se transformou em um campo de batalha, os protestos tinham transcorrido de maneira pacífica. 

*Atualização às 11h14 do dia 23/01/2014

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.