Mundo

Caso Madeleine McCann: principal suspeito não deve enfrentar julgamento pelo crime, diz advogado

Alemão teve mandado revogado por tribunal; advogado alega "falta de evidências"

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 4 de julho de 2024 às 09h35.

Principal suspeito pelo sequestro da menina Madeleine McCann, que desapareceu repentinamente do hotel onde estava hospedada, em 2007, Christian Brueckner provavelmente não deve enfrentar um julgamento pelo crime após vencer uma nova batalha legal, afirmou o advogado do alemão.

A defesa de Brueckner alegou que a promotoria enfrentará "batalha acirrada" para acusá-lo. Isso porque ele teve um mandado de prisão revogado em outro julgamento por crimes sexuais. Os advogados acreditam que a suspensão do mandado seja um sinal de que ele será absolvido, o que poderia lançar dúvidas sobre seu envolvimento com o caso McCann.

Atualmente, o suspeito continua preso pelo estupro de uma turista americana de 72 anos. Brueckner enfrenta julgamentos por diversas acusações de crimes sexuais que teria cometido em Portugal entre 2000 e 2017, época em que morou no país.

Em nota, o tribunal de Brunswick anunciou que revogou o mandado pela falta de "suspeita urgente" de que o homem de 41 anos teria cometido os crimes. Entre as ofensas, estão três estupros e duas acusações de exposição indecente a crianças.

Em 2020, ele foi indicado como principal suspeito pelo desaparecimento de McCann, mas ainda não foi acusado formalmente.

"Se o tribunal tivesse decidido condená-lo por uma, duas, três, quatro ou cinco das acusações, não poderia ter revogado a ordem de prisão. Mas, em vez disso, estamos chegando ao final deste julgamento, e todas as principais evidências foram apresentadas, e agora o tribunal tomou a decisão de revogar o mandado de prisão, o que reflete a falta de evidências contra nosso cliente", afirmou o advogado.

O desaparecimento de Maddie

Na noite de 3 de maio de 2007, Kate e Gerry McCann decidiram deixar os seus gêmeos de 2 anos, Sean e Amelie, e Madeleine, de 3, dormindo enquanto jantavam no bar de tapas Ocean Club, durante as férias. Eles estavam a cerca de 50 metros da sala e, a cada 20 minutos, o casal se revezava na observação das crianças. Na visita das 22h, Kate percebeu que Madeleine não estava mais lá.

O caso se tornou um dos mais misteriosos do mundo nos últimos anos. Os pais de Maddie iniciaram uma luta internacional e no Reino Unido, de onde a família é originária. Depois disso, o governo realizou uma forte campanha para encontrar a menina, e os meios de comunicação europeus encheram as suas primeiras páginas com imagens de Maddie. Milhares de suposições giravam em torno do ocorrido, até 2020, quando investigadores declararam Christian Brückner como um dos suspeitos.

 

Acompanhe tudo sobre:CriançasEuropaPortugal

Mais de Mundo

Radiografia de cachorro está entre indícios de esquema de fraude em pensões na Argentina

Trump conversa com Zelensky e promete "negociação" e "fim da guerra" na Ucrânia

Legisladores democratas aumentam pressão para que Biden desista da reeleição

Entenda como seria o processo para substituir Joe Biden como candidato democrata

Mais na Exame