Kirchner denuncia na ONU a ‘repressão’ a protestos em Madri

''Enquanto falamos aqui está ocorrendo uma repressão contra os indignados (em Madri) que se opõem às políticas de ajuste'', afirmou Cristina

Nações Unidas – A presidente argentina, Cristina Kirchner, denunciou nesta terça-feira nas Nações Unidas a ”repressão” por parte da polícia espanhola aos protestos que aconteceram hoje em Madri contra as medidas de austeridade aprovadas pelo governo da Espanha.

”Enquanto falamos aqui está ocorrendo uma repressão contra os indignados (em Madri) que se opõem às políticas de ajuste”, afirmou Cristina durante seu discurso nos debates da Assembleia Geral da ONU.

A presidente argentina quis estabelecer um paralelo entre os protestos dos últimos meses em países como Grécia e Espanha com as manifestações que aconteceram em seu país em 2001.

Cristina comentou que a Argentina sofreu no passado com ”políticas neoliberais” que tiveram seu máximo apogeu na crise política e institucional de 2001 ”quando aconteceu a moratória da dívida soberana”.

”A Argentina chegou a dever 160% do PIB, produto de políticas de endividamento e de ajuste permanente que agora vemos serem aplicadas de forma feroz em países como Espanha, Grécia e Portugal, que estão pondo em perigo a zona do euro”, lamentou a líder argentina.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.