‘Indignados’ espanhóis se concentram diante do Congresso

Cerca de 200 manifestantes protestam contra a nova lei que permite que os empresários alterem as condições dos trabalhadores sem o consentimento dos sindicatos

Madri, Espanha – Cerca de 200 “indignados” espanhóis se concentraram nesta quarta-feira diante do Congresso, no centro de Madri, depois de pernoitar no local para protestar contra a nova lei que permite que os empresários alterem as condições dos trabalhadores sem o consentimento dos sindicatos.

Vários carros da polícia bloqueavam a entrada do Congresso dos Deputados para impedir a entrada dos manifestantes, que exibiam cartazes com inscrições do tipo “Basta!” e “Não é uma crise, é uma fraude!”

Muitos manifestantes, que protestam contra as duras medidas governamentais para fazer frente à crise e pedir mais transparência e menos corrupção por parte dos políticos, passaram a noite na rua, em sacos de dormir ou barracas de campanha.

O Congresso deve debater nesta quarta-feira uma reforma da negociação coletiva, realizada por empresários e sindicatos para as condições dos trabalhadores.

Em 10 de junho, o governo socialista de José Luis Rodríguez Zapatero aprovou esta reforma, que pretende dar mais liberdade aos empresários para rebaixar as condições dos empregados se considerarem necessário em tempos de crise, com o objetivo de fomentar a criação de emprego e baixar a taxa de 21% de desemprego sofrida pelo país.

Suporte a Exame, por favor desabilite seu Adblock.