Homem que atropelou manifestantes nos EUA é líder da Ku Klux Klan

Incidente aconteceu no último domingo em Virgínia, quando manifestantes que se mobilizaram contra a morte de George Floyd tomaram as ruas dos Estados Unidos
Harry Rogers: acusado de atropelar manifestantes antirracismo admitiu ser líder do braço local go grupo supremacista Ku Klux Klan (Henrico County Sheriff's Office/Reuters)
Harry Rogers: acusado de atropelar manifestantes antirracismo admitiu ser líder do braço local go grupo supremacista Ku Klux Klan (Henrico County Sheriff's Office/Reuters)
D
Da Redação

Publicado em 09/06/2020 às 10:34.

Última atualização em 09/06/2020 às 11:35.

Os protestos antirracismo e antiviolência policial que vem tomando conta dos Estados Unidos desde o caso George Floyd continuam. No último final de semana, em Richmond (Virginia), uma manifestação terminou em violência, depois que um homem atropelou uma multidão de pessoas que protestavam pela igualdade racial. De acordo com a polícia, o suspeito do crime é um conhecido líder de um grupo local ligado a supremacistas brancos da histórica Ku Klux Klan (KKK).

O caso aconteceu no último domingo, 7, durante a noite. Harry Rogers, de 36 anos, teria jogado seu veículo, uma caminhonete, contra um grupo que protestava e bloqueava uma rua da cidade, que é a capital da Virgínia. Roger foi preso e está sendo processado por vandalismo, lesão corporal. Agora, a investigação considera a possibilidade de o crime ter sido motivado por racismo, informou a Reuters.

Durante seu depoimento, disse a promotora que lidera o caso, Roger admitiu ser líder do braço local da KKK. Uma emissora de televisão encontrou imagens dele usando os trajes brancos associados ao grupo, segurando uma bandeira confederada, que representava os estados americanos defensores da escravidão durante a guerra civil e se tornou um símbolo do ódio racial nos Estados Unidos.