• AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
  • AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
Abra sua conta no BTG

Eslovênia vence na Justiça disputa fronteiriça com Croácia

Croácia insistia no tribunal para que a Baía de Pirán, no Golfo de Trieste e cuja maior parte pertence à Eslovênia, fosse dividida pela metade
Croácia insistia para que a Baía de Pirán - situada no Golfo de Trieste - fosse dividida pela metade (Reuters/Antonio Bronic)
Croácia insistia para que a Baía de Pirán - situada no Golfo de Trieste - fosse dividida pela metade (Reuters/Antonio Bronic)
Por EFEPublicado em 29/06/2017 14:32 | Última atualização em 29/06/2017 14:33Tempo de Leitura: 1 min de leitura

Haia - Um Tribunal de Arbitragem de Haia deu nesta quinta-feira a razão à Eslovênia em seu conflito legal com a Croácia e ordenou que a fronteira marítima e terrestre entre ambos os países seja modificada a favor do primeiro, decisão que deve ser aplicada nos próximos meses.

A Croácia insistia para que a Baía de Pirán - situada no Golfo de Trieste - fosse dividida pela metade, mas as coordenadas da fronteira marítima fixadas pelos magistrados concedem a maior parte das águas dessa baía à Eslovênia.

As autoridades da Croácia não reconhecem o Tribunal de Arbitragem desde 2015 e nem sequer compareceram nesta quinta-feira à Haia para ouvir a sentença.

Em 2015, a Croácia deu como rompida de forma unilateral a arbitragem após a publicação na imprensa croata das transcrições de várias conversas entre um membro esloveno da Corte e funcionários da Eslovênia.

O juiz presidente, Gilbert Guillaume, lembrou que o acordo assinado em 2009 por ambos os países fixou por escrito que "a decisão do tribunal será vinculativa" e que as partes tomariam "os passos necessários para implementá-la".