Mundo

Guerra: ataque do Hamas matou pelo menos 161 estrangeiros de 28 nacionalidade

Segundo autoridades, 92 pessoas continuam desaparecidas desde a ofensiva terrorista de 7 de outubro; ao menos outras 27 são reféns

Segundo autoridades, 92 estrangeiros continuam desaparecidos desde a ofensiva (Mahmud HAMS/AFP)

Segundo autoridades, 92 estrangeiros continuam desaparecidos desde a ofensiva (Mahmud HAMS/AFP)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 16 de outubro de 2023 às 09h29.

Dezenas de cidadãos estrangeiros foram mortos, feridos ou feitos reféns desde a ofensiva lançada no sábado, 7, pelo grupo terrorista Hamas contra Israel, que já deixou mais de 1,4 mil mortos do lado israelense, incluindo vários americanos, latino-americanos e europeus.

Autoridades internacionais confirmaram que a ação extremista matou ao menos 161 pessoas com nacionalidade estrangeira — parte deles também tinha passaporte israelense, como os brasileiros Ranani Glazer, Bruna Valeanu e Karla Stelzer Mendes, cujos corpos foram encontrados na semana passada. Os três participavam de uma rave perto da Faixa de Gaza que foi invadida por homens armados.

Desaparecidos

Segundo autoridades, 92 estrangeiros continuam desaparecidos desde a ofensiva. O Exército de Israel informou nesta segunda-feira (16) que 199 pessoas foram sequestradas pelos terroristas do Hamas — pelo menos 27 dessas pessoas têm passaporte estrangeiro.

Na Faixa de Gaza, as autoridades estimam pelo menos 2.750 mortos nos bombardeios israelenses lançados em retaliação.

Veja abaixo a lista de vítimas estrangeiras em Israel, de acordo com as últimas informações divulgadas até o momento.

Lista de vítimas estrangeiras em Israel

EUA: 30 mortos e 13 desaparecidos

Pelo menos 30 cidadãos americanos morreram e 13 estão desaparecidos, informou o Departamento de Estado no domingo.

O presidente Joe Biden informou na terça-feira que os americanos também estavam entre os “detidos pelo Hamas”.

Tailândia: 28 mortos e 17 reféns

Vinte e oito tailandeses morreram em território israelense e 17 foram sequestrados. Outros 16 ficaram feridos.

Cerca de 30 mil tailandeses trabalham em Israel, essencialmente como trabalhadores agrícolas.

França: 19 mortos e 13 desaparecidos

O número de mortos na França é de 19, e 13 estão desaparecidos, disse a ministra das Relações Exteriores da França, Catherine Colonna, no domingo, no final de uma visita a Israel.

Rússia: 16 mortos e 8 desaparecidos

De acordo com um relatório divulgado sábado pela embaixada russa em Tel Aviv, 16 russos morreram e oito estão desaparecidos.

“Pelo menos um cidadão russo, que também tem cidadania israelense", é mantido refém em Gaza pelo Hamas, acrescentou a embaixada.

Nepal: 10 mortos

Dez nepaleses morreram no kibutz Alumim (sul), que foi atacado. Este kibutz acolheu 17 estudantes nepaleses.

Argentina: 7 mortos e 15 desaparecidos

Representações diplomáticas da Argentina confirmaram a morte de sete cidadãos e o desaparecimento de outros 15.

Ucrânia: 7 mortos e 9 desaparecidos

O Ministério das Relações Exteriores de Kiev confirmou que sete ucranianos foram mortos e outros nove estão desaparecidos.

Canadá: 5 mortos e 3 desaparecidos

O governo canadense disse que cinco de seus cidadãos foram mortos. Outros três continuam desaparecidos.

Reino Unido: 4 mortos e vários desaparecidos

Pelo menos quatro britânicos foram mortos. A embaixada israelense em Londres confirmou a morte de duas pessoas na quarta-feira. As demais mortes foram confirmadas pelas famílias.

Segundo a BBC, 17 britânicos, incluindo crianças, morreram ou estão desaparecidos. O governo não confirmou este número.

Rômenia: 4 mortos e 1 desaparecido

No sábado, a Romênia anunciou a morte de quatro dos seus cidadãos, incluindo um soldado romeno-israelense. Outro cidadão está desaparecido.

Áustria: 3 mortos e 2 desaparecidos

O Ministério das Relações Exteriores austríaco declarou na quinta-feira que três austríacos morreram e dois continuam desaparecidos.

Bielorrússia: 3 mortos e 1 desaparecido

A embaixada da Bielorrússia em Tel Aviv anunciou na quinta-feira que três dos seus cidadãos morreram “em circunstâncias trágicas” e outro estava desaparecido.

China: 4 mortos e 2 desaparecidos

O Ministério das Relações Exteriores da China anunciou na segunda-feira que quatro cidadãos chineses morreram e dois estão desaparecidos.

Filipinas: 3 mortos e 3 desaparecidos

O Ministério das Relações Exteriores das Filipinas informou na sexta-feira que uma filipina de 49 anos morreu no festival de música. Dois outros filipinos também morreram num kibutz. Três outros filipinos estão desaparecidos.

Brasil: 3 mortos e 1 ferido

O corpo da brasileira Karla Stelzer Mendes foi encontrado morto, confirmou o Itamaraty nesta sexta-feira. Karla era a última brasileira identificada como desaparecida no país, depois de Ranani Glazer e Bruna Valeanu, cujas mortes foram atestadas durante a semana.

Assim como Ranani e Bruna, Karla havia sido vista pela última vez no sábado, quando terroristas do Hamas lançaram uma ofensiva contra Israel e atacaram uma rave perto da Faixa de Gaza.

Já Rafael Zimerman foi encontrado por soldados israelenses desacordado num bunker ao qual se dirigiu quando o bombardeio começou. Foi socorrido e levado a um hospital.

Peru: 2 mortos e 5 desaparecidos

O Ministério das Relações Exteriores do Peru informou que dois cidadãos morreram e cinco estão desaparecidos.

África do Sul: 2 mortos

O Ministério das Relações Exteriores da África do Sul disse na sexta-feira que dois de seus cidadãos morreram em confrontos entre Israel e o Hamas.

Portugal: 1 morto e 4 desaparecidos

Lisboa anunciou a morte de uma pessoa de nacionalidade portuguesa e israelense e o desaparecimento de outros 4 cidadãos seus.

Chile: 1 morto e 1 desaparecido

As autoridades do Chile informaram a morte de um compatriota. Outro chileno está desaparecido.

Turquia: 1 morto e 1 desaparecido

Ancara confirmou na sexta-feira a morte de um cidadão turco-israelense, que vivia em Israel desde 1972. Outro está desaparecido.

Espanha: 1 morto e 1 desaparecido

O Ministério dos Negócios Estrangeiros espanhol anunciou esta quarta-feira a morte de uma cidadã hispano-israelense, que, segundo a imprensa espanhola, era uma jovem que prestava serviço militar num quartel perto da Faixa de Gaza.

Acompanhe tudo sobre:IsraelHamasFaixa de Gaza

Mais de Mundo

Fotos de ataque a Trump são usadas para vender bíblias e camisetas na Convenção Republicana

Biden é diagnosticado com Covid-19, diz Casa Branca

Aliança de esquerda anuncia candidato para presidir a câmara baixa do Parlamento francês

Eleições EUA: Biden diz que consideraria desistir de eleição se 'alguma condição médica' o obrigasse

Mais na Exame