Mundo

Guaidó contraria Maduro e diz que manterá relações diplomáticas com EUA

Opositor se autoceclarou presidente interino da Venezuela e conseguiu apoio de diversos países em meio a protestos contra Maduro

Juan Guaidó: Autodeclarado presidente venezuelano afirma que país mantém relações com todos os países (Carlos Garcia Rawlins/Reuters)

Juan Guaidó: Autodeclarado presidente venezuelano afirma que país mantém relações com todos os países (Carlos Garcia Rawlins/Reuters)

E

EFE

Publicado em 23 de janeiro de 2019 às 19h36.

Última atualização em 24 de janeiro de 2019 às 13h08.

Caracas - O chefe do parlamento venezuelano e autoproclamado presidente em exercício da Venezuela, Juan Guaidó, disse nesta quarta-feira que manterá relações diplomáticas com os Estados Unidos, contrariando a decisão do chefe do Estado, Nicolás Maduro, de romper vínculos com Washington.

"O Estado da Venezuela deseja firmemente que mantenham sua presença diplomática no nosso país", afirma um comunicado divulgado por Guaidó no Twitter e dirigido a "todas as embaixadas presentes na Venezuela".

"Responsavelmente lhes digo que somos uma nação soberana e seguiremos mantendo as relações diplomáticas com todos os países do mundo", acrescentou o opositor.

 

Acompanhe tudo sobre:DiplomaciaEstados Unidos (EUA)Nicolás MaduroVenezuela

Mais de Mundo

Eleições nos EUA: vice de Trump, Vance promete recuperar indústria em estados cruciais na disputa

Solto da prisão de manhã, Peter Navarro é ovacionado na convenção republicana à noite

Biden tem grandes chances de desistir no fim de semana, dizem democratas em Washington

Fotos de ataque a Trump são usadas para vender bíblias e camisetas na Convenção Republicana

Mais na Exame