Espanha quer boa relação com Argentina, mas defenderá Repsol

Segundo o governo espanhol, a nacionalização viola a lei de privatização da petrolífera e os acordos de proteção recíproca de investimentos assinado entre os países

Madri - O governo espanhol quer manter "as melhores relações" com a Argentina, disse nesta terça-feira o ministro da Indústria, José Manuel Soria, embora isso não vá impedir o país de defender os interesses da Repsol e da Espanha.

"O objetivo foi, é e continuará sendo manter as melhores relações com todos os Governos, incluído o da Argentina", o que não impede o Executivo de defender os interesses de empresas espanholas quando elas sofrerem hostilidades por parte das autoridades, assinalou Soria.

O ministro discursou hoje perante a Comissão de Indústria do Congresso dos Deputados para explicar a posição do Executivo presidido por Mariano Rajoy sobre a desapropriação das ações da Repsol na petrolífera YPF.

"O governo condena e rejeita categoricamente a nacionalização da YPF" porque isso foi feito violando a lei de privatização da petrolífera e os acordos de proteção recíproca de investimentos assinado entre Espanha e Argentina, assinalou.

O ministro sustentou ainda que a medida anunciada pela presidente argentina, Cristina Kirchner, descumpre de forma "clara" os acordos existentes entre esse país e a União Europeia.

Soria acusou as autoridades argentinas de terem produzido uma estratégia deliberada para propiciar a queda das ações da YPF, que perdeu 60% de seu valor, a fim de facilitar sua desapropriação.

Neste sentido, advertiu que o Executivo espanhol irá a todos os fóruns internacionais, econômicos e políticos para conseguir uma justa compensação pelo dano causado à Repsol, uma empresa estratégica para a Espanha. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também