Embaixada dos EUA espionou Merkel, diz jornal

As ações de espionagem que podem ter afetado a chanceler alemã Angela Merkel teriam sido coordenadas da embaixada dos Estados Unidos em Berlim, diz jornal

Berlim - As ações de espionagem que podem ter afetado a chanceler alemã Angela Merkel teriam sido coordenadas da embaixada dos Estados Unidos em Berlim, segundo publica na primeira página nesta sexta-feira o jornal "Süddeutsche Zeitung".

O jornal diz que a suspeita vem dos documentos requestados por Edward Snowden.

As escutas do telefone celular de Merkel teriam sido feitas de uma unidade chamada Special Collection Service (SCS), com um posto na embaixada berlinense.

A SCS, que trabalha tanto com a CIA como com a NSA, costuma funcionar nas embaixadas, normalmente de forma clandestina e apenas em determinadas ocasiões com autorização do governo do país anfitrião.

As possíveis escutas do telefone celular de Merkel geraram uma crise nas relações entre Alemanha e EUA e esteve entre os temas da cúpula europeia em Bruxelas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.