Depois de varar a madrugada, líderes da UE retomam reunião

Meta é alcançar uma maior integração orçamentária como resposta à crise da zona do euro

Bruxelas .- Os líderes da União Europeia (UE) retomaram nesta sexta-feira a cúpula em Bruxelas após o longo dia de quinta-feira, em que as negociações se estenderam até altas horas da madrugada para alcançar uma maior integração orçamentária como resposta à crise da zona do euro.

A reunião dos chefes de Estado e de Governo foi retomada por volta das 8h (de Brasília), após o encerramento da cerimônia na qual o tratado de adesão da Croácia foi assinado.

A chanceler alemã, Angela Merkel, avaliou, ao chegar, 'como muito satisfatório' os acordos feitos horas antes e afirmou que são prova de que a UE aprendeu 'com os erros passados'.

'Queríamos evitar compromissos ruins para o euro e conseguimos', destacou Merkel, que ressaltou que a recusa do Reino Unido e de outros países a aderirem ao pacto para reforçar a união fiscal não impedirá o avanço da Europa.

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, se negou categoricamente na quinta-feira a aceitar a reforma dos tratados proposta pelo eixo franco-alemão para evitar um endurecimento da regulação sobre o setor financeiro de Londres.

Com a recusa do Reino Unido, a UE teve de aceitar uma divisão para adotar as normas de disciplina orçamentária e serão, até o momento, os 17 países do euro e outros seis não membros (Bulgária, Dinamarca, Letônia, Lituânia, Polônia e Romênia) os que continuarão.

Ficam fora do projeto para reforçar a integração econômica o Reino Unido e a Hungria, enquanto a Suécia e a República Tcheca consultarão seus respectivos Parlamentos.

Os líderes - que estiveram reunidos até as 5h da madrugada - fizeram acordos como acelerar em um ano a entrada em vigor do fundo de resgate permanente e dotar o Fundo Monetário Internacional (FMI) com 200 bilhões de euros para ajudar países em crise.

Os mercados, no entanto, responderam com pouco entusiasmo e as bolsas registraram ligeiras quedas diante das dúvidas geradas sobre o resultado da reunião de quinta-feira e as poucas medidas de curto prazo anunciadas.

Nesta sexta-feira, os 27 - aos quais se soma a Croácia, com status de observador, após a assinatura da adesão - devem fechar os últimos detalhes dos acordos econômicos de quinta-feira e abordar temas externos, como a resposta ao programa nuclear iraniano e a aproximação de países como a Sérvia e Montenegro à UE.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.