Coreia do Sul: teste positivo pode trazer partículas mortas do coronavírus

Novos estudos feitos com pacientes da covid-19 que se curaram e acabaram de voltar para casa mostram que resultados podem não mostrar a realidade

O que era apenas uma suspeita foi confirmado hoje nesta segunda-feira, 18, pelo governo da Coreia do Sul. Os pacientes de coronavírus receberam alta do hospital e logo em seguida testaram positivo para a covid-19 provavelmente não correm o risco de transmitir o vírus para outras pessoas, segundo um estudo do Centro de Controle de Doenças do país.

Havia uma desconfiança de que os testes poderiam estar simplesmente errados, já que essas pessoas ficam pelo menos duas semanas em confinamento ao sair do hospital, com pouco ou nenhum contato com parentes e amigos. O governo rastreia os deslocamentos da população por meio de aplicativos e tecnologias de rastreamento da mobilidade.

Existia também a suspeita de que o vírus pudesse ser reativado em pacientes que já haviam contraído a doença.  Intrigados, os cientistas sul-coreanos resolveram arregaçar as mangas e resolver o mistério.

O Centro de Controle de Doenças utilizou técnicas de biologia molecular para analisar 285 testes de pacientes que haviam se curado e logo em seguida haviam testado positivo para o coronavírus.

Foram colhidos também exames de quase 800 contatos próximos a essas pessoas. Um mapeamento baseado em sistemas de monitoramento dos cidadãos e testes realizados periodicamente com o grupo analisado demonstrou que não houve contágio.

“Provavelmente, os exames que deram positivo captaram partículas mortas do vírus”, disse Jung Eun-kyeong, diretor do Centro de Controle de Doenças sul-coreano.

Foi utilizada uma metodologia conhecida como reação em cadeia da polimerase, que identifica e copia o DNA. A tecnologia é empregada para replicar o código genético de vírus, bactérias e outros microorganismos que causam doenças. 

Diante dos resultados, o governo sul-coreano decidiu deixar de impor o isolamento total por pelo menos duas semanas para quem foi liberado do hospital e acabou de voltar para casa. Toda a população, no entanto, precisa continuar respeitando as medidas de combate ao coronavírus. Quem desobedece o isolamento social corre o risco ser multado em mais de 5 mil dólares.

Na última semana, a Coreia do Sul testou uma flebilização da quarentena, mas precisou endurecer as regras novamente. Os bares e boates, que haviam reaberto, fecharam as portas. Mais de cem pessoas contraíram a covid-19 ao voltar a frequentar esse tipo de estabelecimento.

Até agora, as medidas adotadas pelo país para combater o coronavírus vinham dando um bom resultado. A Coreia do Sul conseguiu ficar entre os países com menos casos da doença. São pouco mais de 11.000 infectados, diante de 16.285 no Japão e mais de 28.300 em Singapura. A intenção é que continue assim.

 

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.