Congresso dos EUA faz pressão por sanções contra coreanos

Parlamentares querem a imposição de punições mais rígidas contra empresas estrangeiras que fazem negócios com Pyongyang

Washington - Parlamentares dos Estados Unidos apresentaram um projeto de lei na quinta-feira para ampliar as sanções contra a Coreia do Norte com a imposição de punições mais rígidas contra empresas estrangeiras que fazem negócios com Pyongyang, uma medida que deve ter impacto principalmente em companhias chinesas.

"Após o ataque cibernético patrocinado pelo Estado contra a Sony Pictures, a legislação bipartidária tem como alvo o acesso da Coreia do Norte a divisas e outros bens que ajudam a manter o regime no poder", disse o deputado republicano Ed Royce, coautor do texto.

A imensa maioria dos negócios feitos pela Coreia do Norte tem como parceira a vizinha China, que comprou 90 por cento das exportações do isolado país em 2013, de acordo com dados compilados pela Associação Comercial Internacional da Coreia do Sul.

O projeto de lei é uma resposta a preocupações no Congresso norte-americano com o ciberataque do ano passado à Sony Pictures, que os EUA disseram ter sido de responsabilidade do governo norte-coreano, e também devido ao que parlamentares consideram ser um fracasso internacional em coibir o programa de armas nucleares da Coreia do Norte.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.