Cientistas australianos cobram atenção à extinção de coalas

Estima-se que existam atualmente entre 50 mil e 100 mil coalas no mundo

São Paulo – O coala, um dos principais símbolos da Austrália, deve entrar na lista de animais ameaçados de extinção. O pedido foi feito por cientistas australianos, que cobram maior atenção e investimentos do governo direcionados ao cuidado com esses animais.

Os estudiosos pediram que as autoridades do país fizessem a relação dos animais para que medidas de proteção possam ser aplicadas. Segundo Alistair Melzer, pesquisador da Universidade de Queensland, não existem verbas direcionadas a esse trabalho e isso impossibilita a comunidade científica de saber ao certo qual é a quantidade de animais em cada espécie, para assim determinar novas ações.

Mesmo sem os dados precisos é dada como certa a queda na população de coalas. Um dos motivos é a proximidade desses mamíferos com as áreas urbanizadas. Os cientistas explicam que isso ocorre porque os animais se direcionam a áreas com o solo mais fértil, que são também as regiões mais habitadas pelos humanos. Nesses locais, os coalas, por exemplo, ficam mais propensos a acidentes com carros ou a ataques de animais domésticos.

Estima-se que existam atualmente entre 50 mil e 100 mil marsupiais deste tipo, que necessitam de atenção especial para que não façam parte das estatísticas de animais em extinção.

A precisão dos dados é impossibilitada pela falta de pesquisas que tenham resultados em longo prazo e estudos detalhados feitos com a espécie. Mesmo tendo poucos predadores naturais, os coalas precisam de trabalhos direcionados à sua preservação, até mesmo pelo fato de não terem índices muito altos de reprodução, já que a cada gestação a fêmea normalmente dá luz a somente um filhote.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.