Curitiba projeta parque linear às margens do Rio Barigui

Parque linear será um dos dez maiores do mundo, com 45 quilômetros de extensão

São Paulo – A cidade de Curitiba se prepara para ter um dos maiores parques lineares do mundo. Segundo a prefeitura, serão 45 quilômetros de área preservada e diversas atrações às margens do rio Barigui.

Para tornar o projeto realidade a capital paranaense já conta com o investimento da Agência Francesa de Desenvolvimento, que anunciou R$ 72 milhões. Além disso, estão em andamento outras três licitações que somam R$ 28,2 milhões.

O parque linear irá manter sob preservação áreas que foram invadidas. O projeto prevê ainda a despoluição do rio Barigui e de seus afluentes. Para isso, a empresa que coordena o saneamento na cidade, a Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná) irá ampliar a rede de coleta e tratamento já existentes.

Outras estruturas devem ser renovadas com a construção do parque linear, como o sistema viário nos arredores e nos acessos aos outros parques que passarão a ser interligados. As autoridades preveem aumento na estrutura direcionada aos ciclistas, com novas ciclovias, sinalizações e iluminação exclusivas; arborização e delimitação das áreas preservadas, para evitar ocupações irregulares.

Além da fiscalização nas áreas por onde o rio passa, a prefeitura realizará um trabalho de educação ambiental para conscientizar as comunidades sobre os cuidados ambientais com as bacias hídricas. O trecho por onde o parque irá passar abrange 25 bairros de Curitiba, que devem passar por transformações nos próximos anos.

O prefeito Luciano Ducci acredita que o projeto coloca a cidade em destaque para receber investimentos mundiais. “O Banco Mundial adiantou que vai ampliar para U$ 50 bilhões os investimentos em projetos sustentáveis, de meio ambiente, e Curitiba, mais uma vez, está na frente com a criação deste parque linear”.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.