Casual

Chefs revelam quais pratos e receitas marcaram suas vidas

Alguns dos principais nomes que atuam nos fogões da capital paulista contam quais pratos ou receitas mudaram a forma de como fazem e experimentam comidas

Salvatore Loi elege o ravioli feito por sua mãe como prato mais marcante de sua vida. (Leandro Fonseca/Exame)

Salvatore Loi elege o ravioli feito por sua mãe como prato mais marcante de sua vida. (Leandro Fonseca/Exame)

Júlia Storch
Júlia Storch

Repórter de Casual

Publicado em 14 de maio de 2024 às 14h01.

Tudo sobreChefs
Saiba mais

Muito mais do que os responsáveis por criar as apetitosas receitas que estampam o menu de um restaurante, os chefs de cozinha precisam garantir a qualidade e a consistência de cada prato preparado por sua equipe, supervisionando desde a escolha dos ingredientes até ao empratamento final. Alguns dos principais nomes que atuam nos fogões da capital paulista contam quais pratos ou receitas mudaram a forma de como fazem e experimentam comidas. Confira.

Janaína Torres

Recentemente eleita a melhor chef mulher do mundo, Janaína Torres é responsável por casas de sucesso em São Paulo, entre elas o Bar da Dona Onça, com cardápio dedicado às clássicas porções de boteco e sabores brasileiros. Para ela, o prato que marcou sua vida é o bolinho de carne da Dona Idalina, do Bar do Luiz Fernandes. "Ele é tecnicamente perfeito, fritinho na medida por fora, macio e no ponto certo por dentro. Tem um sabor inigualável e nunca muda. Eu como este bolinho há 30 anos”, diz.

Luana Sabino

Luana Sabino, chef à frente do restaurante mexicano Metzi. (Divulgação/Divulgação)

Luana Sabino, chef do Metzi, eleito o 7º melhor restaurante do Brasil em 2023, possui vasta experiência na cultura mexicana. Para Luana, também a primeira sommelière de tequila do Brasil, um de seus pratos preferidos é a garnacha istmeña. De acordo com a chef, trata-se de uma tortilla mais grossa, selada na gordura de boi com salsa e coberta por costela de boi bem cozida, salsa e queijo seco. “Me dá água na boca ao descrever esse prato”, garante.

André Mifano

André Mifano, chef do restaurante Donna. (Mário Rodrigues/Divulgação)

O restaurante ítalo-paulistano Donna traz pratos que revisitam clássicos e carregam a longa experiência do chef André Mifano. Fora da cozinha, ele conta que gosta de conhecer novos restaurantes e dá preferência para a cozinha asiática. O gosto pela gastronomia oriental também marca a memória do chef, que tem o Unagi Don, uma iguaria de origem japonesa feita com enguia e arroz, como prato predileto. “É o prato que eu comi, nunca mais esqueci e nunca vou esquecer. A enguia é definitivamente o ingrediente que eu mais gosto de comer", diz.

Enrique Paredes

Enrique Paredes, chef do Ama.zo. (Luiz Tineo Morales/Divulgação)

O responsável pelos sabores andinos da cozinha do Ama.zo nunca conseguiu esquecer um prato peruano que experimentou durante uma viagem a cidade de Ayacuchae. “Provei um caldo que leva milho, carne e vísceras do boi. É uma receita regional servida bem quente, chamada sopa de mote. Ela leva um óleo de sofrito delicioso e que dá um sabor todo especial”, conta.

Salvatore Loi

Um dos chefs mais renomados da culinária italiana em São Paulo, Salvatore Loi tem uma longa carreira gastronômica. À frente do restaurante Modern Mamma Osteria, Loi elege o ravioli feito por sua mãe como prato mais marcante de sua vida. “É a primeira lembrança que eu tenho de comer algo e gostar muito. Me lembro do cheiro do manjericão, do queijo pecorino... Levo essa receita a todos os meus restaurantes e os clientes adoram”.

Tsuyoshi Murakami

Tsuyoshi Murakami

Tsuyoshi Murakami (Rodrigo M.I. Oura/Divulgação)

Com uma longa trajetória em restaurantes japoneses, Tsuyoshi Murakami hoje é chef do Murakami, considerado referência em alta gastronomia. Sua família também é responsável pelo Sushimu, um restaurante delivery, e pela Motchimu, uma loja de chás e doces japoneses. “Nunca vou esquecer do oniguiri de ume, moldado com as duas mãos pela minha mãe”, comenta o chef. O gohan usado para fazer o oniguiri, segundo Murakami, era feito em um donabe, uma panela de arroz japonesa, do século 19 e que pertencia a sua avó.

Fellipe Zanuto

Fellipe Zanuto. (Adalberto de Melo Pygmeu/Divulgação)

Nome por trás de uma das pizzarias mais premiadas de São Paulo, A Pizza da Mooca, o chef Fellipe Zanuto é também responsável pela Da Mooca Pizza Shop e pelo restaurante Onesttà. As cozinheiras de sua família não somente o inspiraram a seguir a carreira gastronômica, como também foram essenciais na criação do Hospedaria, outra casa famosa comandada pelo chef e que se destaca pela culinária afetiva. A tradição familiar é um elemento chave na trajetória de Fellipe, especialmente quando se lembra da comida feita por sua avó, responsável pelo prato que mais o marcou: o clássico arroz com feijão. “Foi o prato que eu mais comi na minha vida inteira. É a primeira coisa que vem na minha cabeça quando eu penso em comida. Ninguém faz igual, não tem jeito. Nem eu faço igual.” Bife acebolado, queijo meia cura frito e salada de repolho completam a pedida.

Acompanhe tudo sobre:GastronomiaChefsRestaurantes

Mais de Casual

EUA é o melhor país para turismo no ranking do Fórum Econômico Mundial; veja a posição do Brasil

Exposição Ars Sonora – Hermeto Pascoal chega ao Sesc Bom Retiro, em São Paulo

Quanto custa comer nos 10 melhores restaurantes do Brasil

Como escolher música (boa) para animar um churrasco 40+

Mais na Exame