China elimina autorização prévia para ter dois filhos

Até o começo deste ano, os casais chineses tinham que solicitar uma autorização oficial para ter seu primeiro filho e, nos casos permitidos, o segundo

	China: a possibilidade de todos os casais terem dois filhos pôs fim a 35 anos da política do filho único
 (Kevin Lee/Bloomberg)
China: a possibilidade de todos os casais terem dois filhos pôs fim a 35 anos da política do filho único (Kevin Lee/Bloomberg)
Por Da RedaçãoPublicado em 05/01/2016 13:15 | Última atualização em 05/01/2016 13:15Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Pequim - As autoridades chinesas anunciaram nesta terça-feira a supressão imediata da autorização oficial prévia para ter dois filhos, uma medida adotada depois da recente eliminação da política do filho único.

A decisão foi anunciada pelo Comitê Central do Partido Comunista da China e pelo Conselho de Estado (Executivo) em um documento conjunto divulgado pela agência oficial "Xinhua".

Até o começo deste ano, os casais chineses tinham que solicitar uma autorização oficial para ter seu primeiro filho e, nos casos permitidos, o segundo.

No entanto, todos os casais chineses podem ter até dois filhos desde no último dia 1, uma vez que a Assembleia Nacional Popular aprovou formalmente uma decisão anunciada no final de outubro após o plenário anual do Partido Comunista, o que faz essas autorizações desnecessárias.

A possibilidade de todos os casais terem dois filhos pôs fim a 35 anos da política do filho único, que as autoridades chinesas calculam que evitou cerca de 400 milhões de nascimentos, o que ajudou o país em seu desenvolvimento acelerado nesse mesmo período, com menos bocas para alimentar e menos pressão para o meio ambiente e os recursos nacionais.

No entanto a China, segunda economia do mundo, enfrenta um grave problema de envelhecimento da população e de redução no futuro de sua mão-de-obra, por isso que especialistas demográficos ficaram um bom tempo pedindo ao governo a eliminação dessa política.