Mundo

Boris Johnson expressa apoio a Sunak em tentativa conservadora de reduzir vantagem trabalhista

Ex-primeiro ministro é visto como uma figura popular entre o eleitorado

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 3 de julho de 2024 às 08h39.

Os conservadores, em uma tentativa desesperada de conseguir mais votos nas eleições britânicas de quinta-feira, 4, diante dos trabalhistas, que têm grande vantagem nas pesquisas, receberam na terça-feira o apoio do ex-primeiro-ministro Boris Johnson.

Os conservadores e seu atual primeiro-ministro, Rishi Sunak, que é candidato a permanecer no cargo, insistiram nos últimos dias em um discurso de que o país deve evitar a maioria absoluta do Partido Trabalhista, liderado por Keir Starmer.

"Se realmente querem impostos mais elevados (...) se querem uma imigração fora de controle e se querem curvar-se desnecessariamente diante de Bruxelas (União Europeia), votem no Partido Trabalhista na quinta-feira", afirmou Johnson em um comício de Sunak na terça-feira à noite.

Relembre quem é Boris Johnson

Johnson, um dos cinco primeiros-ministros conservadores nos 14 anos que o partido está no poder, é uma figura popular entre os eleitores 'tories', que poderiam optar desta vez por um Partido Trabalhista que fez uma guinada para o centro sob a liderança de Starmer ou pelo partido de extrema direita 'Reform UK', de Nigel Farage.

Chefe de Governo a partir de 2019, Johnson teve que renunciar em 2022 após uma série de escândalos, incluindo festas na residência oficial do primeiro-ministro durante a pandemia de covid.

"Não é fantástico que nossa família conservadora esteja unida?", afirmou durante o evento Rishi Sunak, terceiro primeiro-ministro britânico em apenas dois anos.

O Partido Conservador, com disputas internas e envolvido em uma profunda crise, tentou nos últimos dias conquistar mais votos para evitar uma derrota histórica.

O Brexit em 2020 e suas consequências para a economia britânica, a covid e o aumento do custo de vida parecem anular qualquer possibilidade de vitória conservadora.

"Acabou. Devemos nos preparar para a realidade e a frustração de estar na oposição", escreveu Suella Braverman, ex-ministra conservadora do Interior, em um artigo publicado no jornal Daily Telegraph. "A votação de quinta-feira visa agora alcançar uma oposição suficientemente forte", acrescentou.

Rishi Sunak, em seu último dia de campanha no sudeste da Inglaterra, tentará conquistar votos nesta quarta-feira para evitar a "super maioria" dos trabalhistas, como deu a entender nas redes sociais.

Keir Starmer percorrerá várias regiões do país no último dia de campanha, primeiro em Gales e depois na Escócia, para terminar no centro da Inglaterra.

"Devemos continuar levando nossa mensagem de mudança. Ainda há muitos eleitores indecisos em todo o país", declarou à BBC o coordenador da campanha trabalhista, Pat McFadden.

 

 

Acompanhe tudo sobre:Boris JohnsonReino UnidoRishi SunakEleições

Mais de Mundo

Trump x Harris: casas de aposta dos EUA mostram republicano com 60% de chances de vencer

Milhões de venezuelanos no exterior não poderão votar devido a obstáculos do governo

Nicolás Maduro acusa mídia internacional na Venezuela de ser 'assassina de aluguel'

Mais na Exame