Boko Haram mata 18 pessoas em vilarejo no Níger

Prefeito do vilarejo afirma que o balanço atual é de 18 mortos, 11 feridos e cerca de 100 casas incendiadas

Dezoito pessoas morreram e onze ficaram feridas na quarta-feira à noite em um ataque do grupo islamita Boko Haram em Wogom, um vilarejo perto da cidade de Bosso, no sudeste do Níger, na fronteira com a Nigéria, informaram autoridades locais.

"O balanço atual é de 18 mortos, 11 feridos e cerca de 100 casas incendiadas", afirmou à AFP Bako Mamadou, prefeito de Bosso.

"Os agressores vieram de Nigéria e cruzaram o rio Yobe", que serve como uma fronteira natural entre o Níger e Nigéria, indicou à AFP uma fonte humanitária.

No final de outubro, o Boko Haram executou 13 pessoas em uma vila perto de Diffa, a capital desta região do sudeste do Níger.

Desde fevereiro, os ataques do Boko Haram aumentaram na região de Diffa, na fronteira nordeste da Nigéria, um reduto de insurgentes islâmicos.

A ONU registrou, desde 6 de fevereiro, cinquenta ataques do Boko Haram ou confrontos envolvendo seus combatentes com o exército nigeriano no sudeste do Níger.

Os ataques dos extremistas obrigaram o fechamento de mais de 150 escolas e forçaram mais de 47.000 pessoas a fugir de suas aldeias nas margens do rio Yobe, segundo a ONU.

Na Nigéria, a insurgência do Boko Haram e sua repressão fizeram pelo menos 17.000 mortos e mais de 2,5 milhões de deslocados desde 2009.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.