• AALR3 R$ 20,34 1.40
  • AAPL34 R$ 67,96 -2.78
  • ABCB4 R$ 17,36 4.52
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.77
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,75 0.66
  • AGRO3 R$ 30,95 1.08
  • ALPA4 R$ 20,84 -0.48
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,71 1.17
  • AMAR3 R$ 2,45 4.26
  • AMBP3 R$ 30,53 -2.12
  • AMER3 R$ 23,10 0.65
  • AMZO34 R$ 67,45 -0.34
  • ANIM3 R$ 5,50 -0.72
  • ARZZ3 R$ 81,36 -0.60
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,23 0.00
  • B3SA3 R$ 11,82 2.34
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
  • AALR3 R$ 20,34 1.40
  • AAPL34 R$ 67,96 -2.78
  • ABCB4 R$ 17,36 4.52
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.77
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,75 0.66
  • AGRO3 R$ 30,95 1.08
  • ALPA4 R$ 20,84 -0.48
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,71 1.17
  • AMAR3 R$ 2,45 4.26
  • AMBP3 R$ 30,53 -2.12
  • AMER3 R$ 23,10 0.65
  • AMZO34 R$ 67,45 -0.34
  • ANIM3 R$ 5,50 -0.72
  • ARZZ3 R$ 81,36 -0.60
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,23 0.00
  • B3SA3 R$ 11,82 2.34
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
Abra sua conta no BTG

Austrália vai impor embargo petroleiro ao Irã

O país segue o exemplo da União Europeia, que impôs na segunda-feira sanções sem precedentes às importações de petróleo iraniano
"É preciso enviar uma mensagem ao povo do Irã, às elites políticas do Irã e ao governo do Irã de que sua conduta é globalmente inaceitável", disse Rudd após se reunir com Hague
 (Adrian Dennis/AFP)
"É preciso enviar uma mensagem ao povo do Irã, às elites políticas do Irã e ao governo do Irã de que sua conduta é globalmente inaceitável", disse Rudd após se reunir com Hague (Adrian Dennis/AFP)
Por Da RedaçãoPublicado em 24/01/2012 09:40 | Última atualização em 24/01/2012 09:40Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Londres - A Austrália irá impor um embargo petroleiro contra o Irã, seguindo o exemplo da União Europeia (UE), anunciou nesta terça-feira em Londres o ministro australiano das Relações Exteriores, Kevin Rudd.

"Não apenas aprovamos a ação tomada em Bruxelas para a Europa. Nós, é claro, vamos fazer o mesmo para a Austrália", afirmou Rudd em uma coletiva de imprensa conjunta com seu homólogo britânico, William Hague.

"A razão é muito clara. É preciso enviar uma mensagem ao povo do Irã, às elites políticas do Irã e ao governo do Irã de que sua conduta é globalmente inaceitável", acrescentou o ministro após se reunir com Hague.

Os ministros das Relações Exteriores da UE impuseram na segunda-feira um embargo petroleiro sem precedentes às importações de petróleo iraniano, que entrará em vigor a partir de 1 de julho, para forçar este país a retomar as negociações sobre seu programa nuclear.

O acordo proíbe que os países europeus estabeleçam novos contratos no setor petroleiro com o Irã, segundo produtor da OPEP depois da Arábia Saudita, como castigo por seu programa nuclear, que, segundo os ocidentais, tem por objetivo construir uma bomba atômica.

Os Estados Unidos comemoraram a decisão e prometeram impor no futuro "novas sanções para aumentar a pressão sobre o Irã".

Autoridades iranianas minimizaram o impacto de um embargo e afirmaram que ele contribuirá apenas para aumentar os preços do petróleo.