Ações por falta de pagamento de condomínio caem em São Paulo

Levantamento feito pelo Secovi-SP mostra que, em agosto, foram ajuizadas 931 ações por falta de pagamento – uma queda de 14,1% em relação a julho
Prédio residencial em São Paulo: apesar da pandemia, inadimplência apresentou queda (Fabiano Accorsi/Exame)
Prédio residencial em São Paulo: apesar da pandemia, inadimplência apresentou queda (Fabiano Accorsi/Exame)
Por exame.solutions Publicado em 05/10/2020 09:21 | Última atualização em 15/03/2021 20:09Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Um balanço divulgado pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação) a partir de dados do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) mostra uma queda no número de novas ações por falta de pagamento da taxa de condomínio na cidade de São Paulo. Em agosto, foram ajuizadas 931 ações por este motivo –número 14,1% inferior aos 1.084 processos ajuizados em julho. Comparado a agosto do ano passado (1.015 ações), o recuo foi de 8,3%.

O levantamento confirma a suspeita do Secovi de que o aumento observado em julho resultava do represamento no volume de ações protocoladas em maio e junho. “Não houve aumento da inadimplência neste ano, tão extraordinário e com implicações econômicas”, afirma Moira Toledo, diretora executiva da vice-presidência de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP.

A especialista destaca ainda uma pequena redução na inadimplência. “Com a pandemia, o pagamento da cota condominial foi priorizado, já que as pessoas tiveram de ficar mais tempo em casa, onde passaram a trabalhar, estudar, entre outras atividades”, diz Moira. O isolamento social, segundo ela, implicou na valorização das estruturas condominiais, em especial os residenciais. “Eles serviram de abrigos diuturnos a boa parcela da população, concentrando a atenção no pleno e perfeito funcionamento do condomínio”, reforça a diretora do Secovi-SP.

As 6.470 ações protocoladas de janeiro a agosto ficaram 3,5% abaixo do registrado no mesmo período do ano passado, quando houve o registro de 6.708 casos. Por outro lado, nos últimos 12 meses, de setembro de 2019 a agosto de 2020, as 10.144 ações ajuizadas representaram um aumento de 3,8% em relação ao período de setembro de 2018 a agosto de 2019, quando foram registradas 9.768 ações.

Veja Também

Melhores ESG 2022: Construção Civil e Imobiliário
Revista Exame
Há 4 dias • 6 min de leitura

Melhores ESG 2022: Construção Civil e Imobiliário

Quer financiar um imóvel? Quanto você precisa ganhar em 3 faixas de preço
Mercado imobiliário
Há 4 dias • 3 min de leitura

Quer financiar um imóvel? Quanto você precisa ganhar em 3 faixas de preço

Leilão oferece imóveis e veículos com até 50% de desconto
Minhas Finanças
Há uma semana • 2 min de leitura

Leilão oferece imóveis e veículos com até 50% de desconto

Feirão de imóveis oferece descontos de até 88%
Mercado imobiliário
Há uma semana • 1 min de leitura

Feirão de imóveis oferece descontos de até 88%

Aluguel no Rio de Janeiro sobe 8,4% em 2022. Veja bairros mais baratos para morar
Mercado imobiliário
Há uma semana • 3 min de leitura

Aluguel no Rio de Janeiro sobe 8,4% em 2022. Veja bairros mais baratos para morar