Marketing

Site de acompanhantes expande patrocínios e marca presença em jogos da Seleção Brasileira

Pela primeira vez, Fatal Model firmou acordos de publicidade para amistosos contra México e Estados Unidos; empresa busca educar sobre profissão de acompanhante por meio do esporte

 (Fatal Model/Divulgação)

(Fatal Model/Divulgação)

Juliana Pio
Juliana Pio

Editora-assistente de Marketing e Projetos Especiais

Publicado em 12 de junho de 2024 às 10h19.

Nos últimos meses, o mercado de patrocínios no futebol registrou um aumento nos investimentos de diversas empresas. Além das casas de apostas, outro destaque inusitado é a Fatal Model, site de acompanhantes fundado em 2016 em Pelotas, no Rio Grande do Sul. A empresa ampliou sua atuação e agora exibe sua marca pela primeira vez em partidas da Seleção Brasileira.

A marca firmou acordos de publicidade para os dois amistosos preparatórios do Brasil para a Copa América, contra México e Estados Unidos, e está presente nos jogos por meio de LEDs virtuais à beira do campo.

Ao todo, a Fatal Model tem direito a três minutos de exposição da marca no decorrer de cada um dos amistosos. No último sábado, 8, contra o México, a marca foi exibida nas transmissões de TV no momento exato do gol de Andreas Pereira, que abriu o placar do jogo. A exposição nas placas de publicidade volta a acontecer nesta quarta-feira, 12, quando o Brasil enfrenta os Estados Unidos no Camping World Stadium, às 20h.

A presença em partidas da Seleção Brasileira faz parte de um movimento de crescimento da Fatal Model no meio esportivo, que se iniciou ainda em 2022. No ano em questão, a empresa deu os primeiros passos com patrocínios pontuais a equipes de menor expressão durante a Copa do Brasil.

Já em 2023, consolidou-se de vez como uma das principais marcas apoiadoras do futebol brasileiro, com oito clubes patrocinados. Agora presente em jogos internacionais do Brasil, atinge o ápice desta expansão.

De acordo com Nina Sag, ex-acompanhante e porta-voz da Fatal Model, a exposição em partidas da seleção representa um grande passo para a empresa. “Este talvez seja o principal momento da trajetória da Fatal Model no futebol. Desde o início dos movimentos, em 2022, nossa intenção era educar e conscientizar a sociedade por meio de patrocínios e espaços publicitários. Estar presente em jogos do Brasil mostra que o panorama tem se alterado, com maior aceitação para a causa, além de gerar respeito para a profissão”, afirma.

Alta no faturamento

Principal plataforma de anúncios para acompanhantes no país, a Fatal Model busca educar e conscientizar a sociedade sobre os preconceitos que ainda cercam a profissão por meio da presença no esporte. Atualmente, a empresa possui parcerias importantes com o Vitória e a Ponte Preta. Em 2024, também foi patrocinadora oficial dos Campeonatos Gaúcho e Carioca.

A mudança na estratégia de patrocínios ajudou a atrair um novo público. Dados da SemRush mostram que o tráfego no site aumentou 43%, de uma média mensal de 43,6 milhões para 62,2 milhões de visitas.

A Fatal Model também registrou um aumento na base de anunciantes, passando de 27.000 no início de 2023 para mais de 32.000 no final do ano. O faturamento da empresa cresceu 124%, alcançando 85 milhões de reais em 2023. Em 2024, a previsão é superar os 100 milhões de reais, conforme reportagem da EXAME.

Acompanhe tudo sobre:Futebolestrategias-de-marketingAnúncios publicitários

Mais de Marketing

As 10 marcas mais inclusivas do mundo, segundo pesquisa; Google lidera ranking

Igor Puga é o novo CMO da Zamp, dona do Burger King e Popeyes

Disputa pelas listras: Adidas luta com grife Thom Browne pelo monopólio da marca

Campanha eleitoral americana ganha nova narrativa após atentado e foto de Trump

Mais na Exame