Invest

“O investidor ainda vai sentir saudade do preço da Vale”, diz CEO da Eleven

Raphael Figueredo conta em entrevista ao Vozes do Mercado por que a mineradora se tornou sua principal convicção na bolsa: 'um piso para o Ibovespa'

Raphael Figueredo, CEO da Eleven: "Juro alto não é um problema" (Exame/Exame)

Raphael Figueredo, CEO da Eleven: "Juro alto não é um problema" (Exame/Exame)

Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Repórter de Invest

Publicado em 29 de maio de 2024 às 10h29.

Última atualização em 29 de maio de 2024 às 14h50.

Tudo sobreVale
Saiba mais

Nenhuma ação jogou mais contra a bolsa brasileira neste ano do que a Vale (VALE3). A mineradora, que tem a segunda maior fatia do Ibovespa (só atrás da Petrobras), fechou o último pregão com 17,5% de desvalorização no ano, com as ações cotadas a R$ 64,04. A perda em valor de mercado é de R$ 61,5 bilhões. O pessimismo sobre o crescimento da China e até o medo de interferência do governo pesaram sobre o preço da companhia. Mas Raphael Figueredo, CEO da Eleven Financial, acredita que os riscos estão sobreprecificados. O que não embarcar nessa sentirá "saudade" do atual preço das ações, afirmou em entrevista ao programa Vozes do Mercado, da Exame Invest.

Veja a carteira recomendada completa com 11 ações para quem busca dividendos!

“Estão descontando na Vale todos as dificuldades da China. Mas a Vale tem um portfólio que consegue atravessar bem esse período. Tem pouca gente vendo isso com profundidade. Quando o mercado perceber será uma correria. A Vale está muito atrativa nesse momento”, afirma Figueredo. 

yt thumbnail

A Vale é a principal convicção de Figueredo, com a tese indo de encontro com seu maior otimismo com os preços das commodities. “Mesmo com as dificuldades da economia brasileira, ainda vejo um fluxo positivo para o Brasil, porque somos altamente dependentes do mercado global de commodities, que está em direção ascendente.”

Esse cenário, afirma, deve pavimentar um piso para o Ibovespa próximo do nível atual dos 120.000 pontos. “Para cair abaixo disso, teria que acontecer algo muito pior do que os pessimistas já estão projetando.” A Eleven iniciou 2024 com a projeção de que o Ibovespa, hoje próximo dos 123.000 pontos, termine o ano em 142.000. A estimativa não foi alterada. “É difícil falar em novos topos históricos, mas é possível dizer que existe um piso. Entender o Ibovespa é conhecer a fundo Vale, Petrobras e Itaú, que são as grandes companhias que sustentam o mercado.”

"Juro alto não é problema"

Embora reconheça que a projeção de juros mais altos tenha impacto negativo sobre o mercado de renda variável, ainda há boas oportunidades na bolsa. “A taxa de juros está elevada, mas não vejo isso como um problema, porque nunca foi na história do mercado. O que guardamos na memória é um aspecto recente, de quando a nossa taxa chegou a 2%. Mas o custo Brasil não vai permitir isso nunca”.

Veja a carteira recomendada completa com 11 ações para quem busca dividendos!

CEO da Eleven desde o ano passado, Raphael Figueredo tem 20 anos de carreira, com passagens como analista da Ágora, ICAP, Clear e XP. Ingressou na Eleven em 2017. A casa de análise, que surgiu em meio à popularização da bolsa no fim da última década, hoje tem as gestoras como seus principais clientes. Nos últimos três anos, foi premiada pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec) Instituto Brasileiro de Relações com Investidores (Ibri ).

Acompanhe tudo sobre:Vozes do MercadoValeAções

Mais de Invest

Dinheiro esquecido: mais de R$ 8 bi estão disponíveis para devolução; veja como sacar

Quanto devo investir para ter uma aposentadoria de R$ 10 mil?

Quanto rende R$ 1 milhão a 110% do CDI?

É obrigatório contratar advogado para fazer um testamento?

Mais na Exame