Invest

Fundos apostam contra dólar e Goldman prevê mais quedas

À espera da reunião, fundos de hedge e outros grandes traders migraram para uma posição líquida vendida contra o dólar pela primeira vez

FED: "Vemos maior ‘espaço para fugir’ dos níveis atuais em moedas pró-cíclicas que deverão se beneficiar do afrouxamento do controle do Fed" (Gary Cameron/Reuters)

FED: "Vemos maior ‘espaço para fugir’ dos níveis atuais em moedas pró-cíclicas que deverão se beneficiar do afrouxamento do controle do Fed" (Gary Cameron/Reuters)

Bloomberg
Bloomberg

Agência de notícias

Publicado em 18 de dezembro de 2023 às 11h04.

O Goldman Sachs fez coro a expectativas de um dólar mais fraco, após o sinal mais claro já enviado pelo banco central dos EUA de que cortes nas taxas de juros estão a caminho.

O banco alterou suas previsões para a taxa de câmbio depois que o Federal Reserve sinalizou um giro mais rápido em direção a reduções “não recessivas” dos juros, escreveram analistas do Goldman como Michael Cahill, em nota na sexta-feira.

À espera da reunião, fundos de hedge e outros grandes traders migraram para uma posição líquida vendida contra o dólar pela primeira vez desde setembro, de acordo com dados da CFTC de 12 de dezembro.

O índice Bloomberg Dollar Spot caiu 1,2% na semana passada e atingiu a mínima de quatro meses após o Fed manter a taxa básica e projetar reduções de 75 pontos-base em 2024. Os mercados se apressaram para precificar até seis cortes, enquanto economistas do Goldman apostam em cinco.

“Nossas novas previsões incorporam mais debilidade do dólar do que antes”, escreveram analistas do Goldman. “As maiores revisões às nossas previsões ocorrem em moedas sensíveis às taxas que teriam enfrentado dificuldades sob um regime de juros ‘mais altos por mais tempo’”, como o iene, a coroa sueca e a rupia indonésia, escreveram.

A posição combinada para apostas nas principais moedas mudou para 26.355 contratos líquidos baixistas em relação ao dólar na semana encerrada na última terça-feira, mostram dados da CFTC. As maiores mudanças foram aplicadas ao iene: as previsões de ganhos do dólar frente à moeda japonesa caíram mais de 20%. Para a libra esterlina, as apostas na queda do dólar quase duplicaram.

O iene subiu 2% na semana passada em relação ao dólar, enquanto a coroa avançou 1,9%. Essas foram as maiores valorizações entre as moedas do G10, com exceção da coroa norueguesa, que saltou mais de 4% quando o banco central do país surpreendeu ao elevar a principal taxa de depósito.

Um dólar mais fraco em 2024 reflete a visão da maioria dos analistas consultados pela Bloomberg sobre o G10 e mercados emergentes, mas o Goldman antes previa apenas uma depreciação “superficial”, com uma estimativa de que o índice dólar caísse 3% nos próximos 12 meses em seu cenário para o mercado de câmbio em 2024 publicado em 10 de novembro.

O Goldman agora vê o iene praticamente estável, em 142 por dólar nos próximos seis meses, significativamente mais forte do que em sua estimativa anterior de 155. O banco também melhorou as projeções para o dólar da Austrália e da Nova Zelândia em pelo menos 9% no mesmo prazo.

“Vemos maior ‘espaço para fugir’ dos níveis atuais em moedas pró-cíclicas que deverão se beneficiar do afrouxamento do controle do Fed sobre as condições financeiras e reforçando a tese de um pouso suave”, escreveram os estrategistas. Esse grupo inclui a libra esterlina, o won sul-coreano e o rand sul-africano.

Confira as últimas notícias de Invest

Acompanhe tudo sobre:BloombergGoldman SachsDólarFundos de investimento

Mais de Invest

O que é melhor: testamento ou doação em vida?

Quanto rende R$ 1 milhão a 120% do CDI?

Petróleo fecha em alta, de olho estoques dos EUA e após decisão do Fed

Contratos de namoro aumentam 385% nos últimos anos; entenda como funciona

Mais na Exame