Invest

20 ações que mais remuneram os acionistas nos últimos anos

Foram analisados papéis das carteiras do Ibovespa, IDIV, Small Caps e IBRX100

JCP: das 20 maiores pagadoras, 10 apresentam um dividend yield superior a 5% (Berkah/Getty Images)

JCP: das 20 maiores pagadoras, 10 apresentam um dividend yield superior a 5% (Berkah/Getty Images)

Ana Cardim
Ana Cardim

Redatora

Publicado em 26 de julho de 2023 às 13h56.

Última atualização em 27 de julho de 2023 às 14h10.

Um levantamento realizado pelo TradeMap apontou as 20 ações que mais remuneram os acionistas nos últimos anos com Juros sobre Capital Próprio (JCP) aos acionistas. Foram analisados papéis das carteiras do Ibovespa, IDIV, Small Caps e IBRX100. Entre as empresas listadas, o setor de bancos se destaca com sete ativos, seguido por energia elétrica, com quatro, e siderurgia e água & saneamento com dois ativos, cada um.

As empresas listadas no levantamento pagaram JCPs nos últimos três anos (até 24 de julho de cada ano), com a mediana dos dividend yields sendo calculada para a composição do ranking. As três ações de melhor desempenho em remuneração de acionistas com JCPs foram Banrisul (BRSR3) lidera com uma mediana de 8,65% de dividend yield, Banco do Brasil (BBAS3) com 8,01%, e o Banco ABC (ABCB4), com 7,81%.

Quais são as ações que mais pagam JCP's?

Empresa
Ticker
Dividend Yield com JCP´s 12 meses%JCP´s Informado nos últimos 12 meses
24/07/2124/072224/07/23MedianaMédia24/07/2124/072224/07/23MedianaMédia
BarisulBRSR64,909,328,658,657,620,701,140,840,840,89
BrasilBBAS35,738,0110,808,018,181,952,543,742,542,74
Abc BrasilABCB46,507,819,597,817,970,931,151,571,151,22
CemigCMIG43,167,559,547,556,750,250,711,020,710,66
RomiROMI316,271,847,447,448,521,620,390,780,780,93
CemigCMIG33,096,146,256,145,160,250,711,020,710,66
SaneparSAPR113,305,5810,245,586,370,200,220,370,220,26
BradescoBBDC45,581,975,915,584,491,040,431,011,010,83
BradescoBBDC35,542,076,475,544,690,950,390,920,920,75
CopelCPLE65,743,275,325,324,780,360,200,370,360,31
CieloCIEL31,664,747,354,744,580,090,160,300,160,18
ItausaITSA41,884,727,474,724,690,170,450,570,450,40
Santander BRSANB112,254,397,114,394,580,320,850,980,850,72
TimTIMS34,114,074,664,114,280,590,480,600,590,56
FerbasaFESA46,262,593,873,874,241,141,321,711,321,39
Tran PaulistTRPL43,103,864,623,863,860,660,951,060,950,89
GerdauGGBR41,753,744,013,743,170,291,100,910,910,76
CopasaCSMG33,683,5912,643,686,640,680,511,490,680,89
HyperaHYPE33,513,403,083,403,331,201,231,231,231,22
DexcoDXCO32,034,893,373,373,430,260,850,300,300,47
Fonte: Trademap

Das 20 maiores pagadoras, 10 apresentam um dividend yield superior a 5%. Os Juros sobre Capital Próprio (JCP) surgem como uma opção de remuneração para os acionistas, sendo uma forma que as empresas podem utilizar para recompensar os investidores pelo capital investido. Importante ressaltar que os JCP não são considerados dividendos, mas sim uma despesa financeira para a empresa, o que lhes permite ser dedutíveis para fins de Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

Quando o acionista recebe os Juros sobre Capital Próprio (JCP), ele deve pagar 15% de Imposto de Renda sobre o valor. Essa tributação é diferente dos dividendos, que são isentos aos acionistas e tributados para a empresa. Essa prática é amplamente adotada no mercado, especialmente entre os bancos, como forma de reduzir a carga tributária e otimizar a remuneração aos acionistas.

Por que investir em ações de dividendos?

Montar uma carteira focada no recebimento de proventos das principais empresas da bolsa é uma estratégia adotada por muitos investidores com diversas vantagens, como:

  • Permite aumentar os ganhos de renda passiva, pois ao investir em ações de empresas que distribuem regularmente dividendos e Juros sobre Capital Próprio (JCP), o investidor pode contar com um fluxo de caixa constante proveniente desses proventos;
  • oferece a oportunidade de investir em empresas consolidadas e de renome no mercado;
  • possibilidade de alocar patrimônio em companhias que valorizam os acionistas;
  • investir em ações de empresas que demonstram resiliência mesmo em cenários de crise econômica pode ser uma estratégia interessante para proteger o capital e buscar retornos mais consistentes ao longo do tempo;
  • montar uma carteira com foco em proventos permite potencializar o poder dos juros compostos a longo prazo.

Como analisar uma ação?

Analisar uma ação requer uma abordagem criteriosa e baseada em informações relevantes. Inicialmente, é importante avaliar os fundamentos da empresa, como receitas, lucros, dívidas e perspectivas de crescimento.

Além disso, é crucial considerar o setor de atuação, a posição competitiva da empresa e as tendências de mercado. Análises técnicas, por meio de gráficos e indicadores, podem fornecer insights sobre o comportamento histórico do preço da ação.

Também é essencial acompanhar notícias e eventos que possam afetar o desempenho da empresa e o mercado em geral.

O que é dividend yield?

Dividend Yield é um indicador financeiro que mede o retorno que um investidor pode obter com os dividendos pagos por uma empresa em relação ao preço atual de suas ações. Essa métrica é calculada dividindo o valor anual dos dividendos distribuídos por ação pelo preço atual da ação. O resultado é expresso em porcentagem e fornece uma perspectiva importante sobre a rentabilidade do investimento em ações, especialmente para aqueles que buscam fontes de renda passiva através do recebimento de proventos das empresas em que investem.

Um alto Dividend Yield pode indicar que a empresa está distribuindo uma boa parte de seus lucros aos acionistas, tornando-a potencialmente atraente para investidores que buscam rendimentos regulares. No entanto, é importante lembrar que o Dividend Yield não deve ser o único fator considerado na análise de uma ação, sendo essencial avaliar também os fundamentos e perspectivas da empresa como um todo.

O que é Juros Sobre Capital Próprio?

Juros sobre Capital Próprio (JCP) é uma forma de remuneração que as empresas podem oferecer aos seus acionistas como alternativa ao pagamento de dividendos. Nessa modalidade, a empresa utiliza parte do seu capital próprio para remunerar os acionistas. Os JCP são contabilizados como despesa financeira para a empresa, o que permite a sua dedução para fins de Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), o JCP proporciona benefícios fiscais para a companhia, sendo uma estratégia utilizada por algumas empresas para otimizar a remuneração aos acionistas e reduzir a carga tributária.

Acompanhe tudo sobre:AçõesDividendos

Mais de Invest

Mega-Sena sorteia nesta terça-feira prêmio estimado em R$ 3,5 milhões

Mega-Sena acumulada: quanto rendem R$ 55 milhões na poupança

Spotify revela lucro trimestral recorde em meio a ano ruim

Lucro da Usiminas (USIM5) encolhe 93% no 1º trimestre e ação cai 9%

Mais na Exame