Taurus (TASA4) registra queda de 47,9% no lucro líquido do 2T22

Segundo a fabricante de armas gaúcha, o resultado foi impactado pela cotação do dólar
Taurus (TASA4) (Ethan Miller/Getty Images/Getty Images)
Taurus (TASA4) (Ethan Miller/Getty Images/Getty Images)
Carlo Cauti
Carlo CautiPublicado em 09/08/2022 às 19:21.

A Taurus (TASA4) divulgou nesta terça-feira, 9, seu resultado do segundo trimestre de 2022.

O lucro líquido da fabricante de armas gaúcha foi de R$ 100,8 milhões, em queda de 47,9% em relação aos R$ 193,6 milhões registrados pela Tauros no mesmo período no ano passado.

O faturamento caiu 3,9% na comparação anual, passando de R$ 651,1 milhões entre abril e junho de 2021 contra R$ 625,6 milhões no segundo trimestre deste ano.

No caso dos resultados trimestrais, entretanto, o faturamento subiu 8,3%, passando de R$ 1,202 no primeiro trimestre de 2021 para R$ 1,302 no primeiro trimestre de 2022.

O destaque do faturamento da Taurus está no mercado doméstico, que cresceu 32,8% e 32,3% na comparação trimestral e semestral.

O mercado internacional, por sua vez, caiu 16,3% no trimestre e não registrou crescimento no semestre.

O que pesou no balanço trimestral da Taurus foram as despesas financeiras, de R$ 44,6 milhões, que reverteram o resultado positivo de R$ 59,4 milhões registrados no mesmo período de 2021.

As despesas operacionais aumentaram 25,1%, passando de R$ 79,8 milhões em junho de 2021 para R$ 99,8 milhões em junho de 2022.

No semestre, esse aumento foi de 21,3%, passando de R$ 165,4 milhões para R$ 200,6 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi de R$ 205,6 milhões, queda de 8,4% em relação aos R$ 224,4 milhões registrados no mesmo período do ano passado.

No semestre, entretanto, o Ebitda subiu 12%, passando de R$ 400 milhões para R$ 447,8 milhões.

O endividamento da Taurus caiu 50,6%, passando de R$ 665,7 milhões entre abril e junho de 2021 para R$ 329 milhões no mesmo período de 2022.

A produção total de armas da Taurus, considerando as operações industriais do Brasil e dos EUA, atingiu 1,1 milhão de unidades no primeiro semestre do ano, representando um aumento de 1,7% em relação ao mesmo período do ano passado, com uma média de 8,7 mil armas produzidas por dia.

Entretanto, no desempenho trimestral, houve uma redução no volume de produção em 10,9% em relação ao segundo trimestre de 2021, principalmente devido à adequação da produção na planta industrial nos EUA.

A planta localizada no Brasil, maior unidade da Taurus, produziu 344 mil armas de fogo entre abril e junho de 2022, que também apresentou redução de 5,0% em relação ao mesmo trimestre de 2021.

No entanto, em relação ao 1S22, a produção da planta brasileira apresentou uma queda de 3,4 % de aumento em relação ao mesmo período do ano anterior, para atender a maior demanda do mercado interno e externo, com exceção dos EUA, que são abastecidos pela planta brasileira.

Taurus (TASA4) explica resultado com cotação do dólar

"O primeiro semestre de 2022 foi muito desafiador", escreveu a Taurus no documento de divulgação de resultados, salientando como a empresa "fechou o segundo trimestre com excelentes resultados, mantendo o alto nível de margens".

A empresa destacou como manteve sua "rentabilidade operacional", obtendo "excelentes resultados, independentemente das mudanças no mercado condições e a valorização do real frente ao dólar médio, que ficou em 5,8% na avaliação semestral, e 6,8% quando comparamos o segundo trimestre de 2022 com o de 2021".

A Taurus explicou que, como a maior parte das vendas é feita no exterior (68,4% da receita do 1S22), a queda na cotação do dólar pressionou essa parcela da receita, que é convertida em moeda local quando contabilizada nos resultados da Companhia.