Oi terá duas classes de ações a partir de hoje

A principal alteração estrutural na empresa será o fato de suas ações serem negociadas em apenas duas classes: OIBR3 e OIBR4
A nova configuração da empresa deixará a Portugal Telecom com 23,26% de participação indireta da Oi S/A. Já a participação direta é de 15,55% (Luiz Prado/Divulgação/BM&FBOVESPA)
A nova configuração da empresa deixará a Portugal Telecom com 23,26% de participação indireta da Oi S/A. Já a participação direta é de 15,55% (Luiz Prado/Divulgação/BM&FBOVESPA)
W
Wilian MironPublicado em 09/04/2012 às 15:21.

São Paulo - As ações da Oi S/A, empresa resultante da simplificação acionária do grupo Oi, estarão disponíveis na BM&FBovespa e na Bolsa de Nova York (NYSE), a partir desta segunda-feira, 9.

A principal alteração estrutural na empresa será o fato de suas ações serem negociadas em apenas duas classes: OIBR3 (ordinárias) e OIBR4 (preferenciais). Na NYSE, as American Depositary Shares (ADSs) serão negociadas como OIBR e OIBR.C. A informação está em fato relevante enviado pela empresa à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) na quinta-feira, dia 5.

O documento também confirma que a reestruturação acionária do grupo Oi custará menos do que o previsto, confirmando o balanço parcial da operação divulgado em 29 de março.

No documento, a companhia informa que o direito de recesso dos acionistas da Telemar Norte Leste S/A e da Tele Norte e Leste Part. S/A custará R$ 2 bilhões ao caixa da empresa. O dinheiro equivale à adesão ao recesso de aproximadamente metade dos acionistas com este direito.

Antes, estava previsto que até 90% dos minoritários com direito a deixar os quadros societários da empresa com o prêmio de R$ 74,39 decidiriam pelo recesso. Caso o prognóstico dos controladores se confirmasse, o grupo gastaria R$ 3,5 bilhões.

Controle

A nova configuração da empresa deixará a Portugal Telecom com 23,26% de participação indireta da Oi S/A. Já a participação direta é de 15,55%.

Paralelamente, a Telemar Part. S/A passa a ter participação direta ou indiretamente, através da subsidiária Valverde Part. S/A de 56,43% do capital votante e de 17,70% do capital total da Oi S/A (antiga Brasil Telecom S/A).